Lego
in

Grupo Lego aumenta receitas em 46%

O Grupo Lego apresentou os seus resultados dos primeiros seis meses (período terminando a 30 de junho) de 2021. As receitas cresceram 46%, para 23 mil milhões de coroas dinamarquesas, comparado com o mesmo período em 2020.

As vendas aos consumidores cresceram 36%, a um ritmo muito superior da restante indústria dos brinquedos, levando a um aumento da quota de mercado global e em todos os seus principais mercados.

O lucro operacional foi de oito mil milhões de coroas dinamarquesas, num aumento de 104%, quando comparado com a primeira metade de 2020, apesar de estar em marcha um programa de investimentos estratégicos para apoiar o crescimento a longo prazo.

Estamos muito satisfeitos com o progresso que alcançámos em todas as áreas de negócio durante a primeira metade do ano. Esta performance deveu-se a uma grande procura pelo nosso portfólio, que atraiu muitos novos construtores para a Lego. O nosso crescimento face ao ano passado deveu-se também à diminuição das restrições relacionadas com a pandemia, comparadas com 2020, que permitiu às nossas fábricas trabalhar de forma ininterrupta e a maioria das lojas reabrirem“, afirma o CEO do Grupo LEGO, Niels B. Christiansen. “Vimos também os benefícios do investimento de vários anos no e-commerce, na inovação nos nossos produtos e na nossa rede de abastecimento. Essa performance permitiu-nos agora acelerar investimentos estratégicos nas áreas da sustentabilidade e digitalização. Estamos especialmente gratos à nossa equipa incrível, que, apesar de todos os desafios e incertezas dos últimos seis meses, trabalhou arduamente para trazer a diversão a mais famílias de todo o mundo”.

 

Crescimento de dois dígitos

Todos os grupos de mercados alcançaram crescimentos de dois dígitos nas vendas ao consumidor, fruto do vasto portfólio para construtores de todas as idades. As gamas com melhor performance incluem Lego City, Lego Star Wars, Lego Harry Potter, Lego Creator Expert e Lego Technic.

O lucro operacional mais do que duplicou, apesar dos investimentos significativos em iniciativas a longo prazo, como um novo formato de lojas, capacidade de e-commerce, uma transformação digital em toda a empresa, esforços para tornar os produtos e as operações mais sustentáveis. O lucro operacional sofreu também com o aumento dos custos com matéria-prima e fretagem.

Se olharmos para a segunda metade de 2021, continuamos a ver uma grande procura pelos nossos produtos. A longo prazo, esperamos um crescimento a níveis mais sustentáveis, conforme as pessoas recuperarem os seus padrões de consumo pré-pandemia. Esta tendência, combinada com os nossos planos para acelerar o reinvestimento no futuro do negócio, deverá gerar em lucros mais normalizados no futuro. Os nossos investimentos são pensados para criar um futuro sustentável para o negócio e com a nossa missão, de ter um impacto positivo nas crianças e no mundo que vão herdar, em mente. A digitalização e a sustentabilidade vão ser fundamentais nisto e estamos muito satisfeitos com o nosso progresso nessas áreas. Vamos também continuar a desenvolver as nossas experiências e expressão da marca, para que brincar com Lego seja diverso e inclusivo”.

 

Sustentabilidade

Em junho, o Grupo Lego revelou um protótipo de um tijolo feito com plástico reciclado de garrafas PET, um importante passo na redução da sua necessidade de usar matérias-primas não sustentáveis.

Completou também um teste a sacos de papel para substituir as embalagens de plástico de uma só utilização que vêm dentro das caixas dos sets e vai começar a introdução do novo papel das embalagens no início de 2022.

Este desenvolvimento garante que o Grupo Lego continua encarrilado para alcançar o objetivo de ter packaging 100% sustentável, até 2025.

 

Novas lojas

As vendas por e-commerce através das plataformas Lego ou dos seus parceiros cresceram 50%, em relação ao mesmo período do ano passado.

O Grupo Lego lançou também um novo formato de loja de retalho, que será introduzido em 60 lojas na segunda metade do ano. O formato foi revelado na abertura da nova loja em Nova Iorque, no mês de junho, e pretende criar “uma experiência imersiva, divertida e memorável para os seus visitantes“.

O Grupo Lego abriu mais 60 lojas, na primeira metade de 2021, mais de 40 delas na China, elevando o número total  para 737, a 30 de junho (291 das quais, na China).

Durante a segunda metade de 2021, o Grupo vai acelerar o seu investimento numa transformação digital da empresa a vários anos. Divisões para a digitalização foram abertas em Xangai e Copenhaga, adicionalmente às já existentes em Londres e na sede, em Billund (Dinamarca).

packaging

DS Smith integra Métricas de Design Circular nas suas fábricas de packaging

Consumo

Clima de consumo aumenta face ao ano passado