A REVISTA DOS NEGÓCIOS DA DISTRIBUIÇÃO

A REVISTA DOS NEGÓCIOS DA DISTRIBUIÇÃO

Clube do Grande Consumo

Sou um defensor do trabalho coletivo. Sempre o fui. Pode haver, como os há, protagonistas que desequilibram a balança, mas sem o suporte coletivo, a sua preponderância é sempre de curto impacto face ao potencial que lhes é reconhecido. A esse mesmo propósito diz a sabedoria popular africana que “sozinhos vamos mais rápido. Juntos vamos mais longe”.

Chavões à parte, quando as transformações individuais e coletivas se sucedem a um ritmo vertiginoso, não deixa de ser curioso que, quanto mais as tecnologias de informação potenciam o individualismo e, consigo, a alienação que tais possibilidades acarretam, é a palavra “equipas” que volta a soar com maior intensidade na narrativa dos líderes empresariais. Desde a administradores a diretores, quanto mais se afirma o “eu”, mais o “nós” ganha força e é, não raras vezes, acionado como recurso estilístico e não só. Seja para comunicar para fora ou para dentro das instituições que servem, na era do “eu sou fonte”, “eu sou ‘selfie’ no Instagram”, ou a mundialmente conhecida “eu estou aqui”, o trabalho coletivo volta a ser apontado como uma alavanca decisiva no competitivo mundo dos negócios.

Foi assim numa rara entrevista concedida por Rui Serpa, VP & Country Manager da Coca-Cola European Partners Portugal, e assim foi com a chegada da Mercadona ao mercado nacional, onde, também ali, os 900 colaboradores que a empresa já emprega em Portugal tiveram direito à devida menção pelo seu contributo para a internacionalização da líder retalhista no país vizinho. Pelo mesmo diapasão alinharam, sem saberem, André Semedo, o novo Head of Market da RB Healthcare, e Rui de Carvalho, quadro Auchan com percurso feito, e reconhecido, dentro da companhia, que na altura de fazer o balanço sobre os dois anos do MyAuchan destacou, claro está, o “trabalho extraordinário, de uma equipa multifacetada, que envolveu operacionais, comerciais, equipas técnicas, jurídicas e de desenvolvimento, num elevado espírito de cooperação e colaboração que muito nos tem orgulhado”.

Equipa, coletivo, a soma das partes, respetiva valências e capacidades, que voltam a ganhar maior protagonismo quanto maiores são os utensílios de produtividade e com eles os desafios que se nos colocam individual e coletivamente. Mas a grande questão que se põe é o que levou a esta mudança de paradigma? Estaremos perante uma nova forma de encarar a realidade? Ou é a própria realidade que conduziu a essa mesma leitura?

Provavelmente, será um ciclo como em tantas outras coisas, mas certo é que os desafios futuros que se colocam ao retalho em Portugal e, com eles, consequentemente, a toda a indústria de bens de grande consumo são, acredito, maiores do que no passado. Crescer, assegurar a sustentabilidade do negócio, entregar mais-valias aos acionistas são desafios constantes e cada vez mais difíceis de superar, ao que se junta, agora, os trazidos – ou as oportunidades – pelo entusiasmante mundo do código binário que nos permite, a todos, fazer mais, melhor e mais rápido, ao mesmo tempo que abre novas formas de negócio e consumo.

Não deixa, contudo, de ser curioso que, quanto mais possibilidades nos oferece a tecnologia, mais as ligações ao contexto em que nos inserimos se tornam evidentes e reforçam, uma vez mais, o trabalho das equipas que o desenvolvem localmente. Se em qualquer lado do mundo podemos beber e comer produtos que são praticamente iguais, não deixa de me captar a atenção a necessidade de haver âncoras locais em tornos dos projetos. Desde a produção ao retalho, muitos são os factos que nos levam a essa interpretação e, não obstante a utilidade das máquinas e o seu incontornável recurso para a produtiva humana, ainda são as pessoas, as marcas e os projetos que nos cativam. E os mesmos não (nunca?) serão passíveis de existir sem a responsabilidade que somente as pessoas podem assumir. Afinal, não há operador que as programe para serem como são. Será esta a magia do atuar localmente?

10 Julho 2019

Galeria de Imagens

Videos

Últimos Artigos

  • in

    Nivea lança chatbot com aconselhamento personalizado

    A Nivea acaba de lançar um chatbot, disponível através do Facebook Messenger, que tem como objetivo aproximar a marca dos consumidores e oferecer um aconselhamento personalizado no cuidado do rosto. O novo chatbot Nivea coloca à disposição, 24 horas por dia, o ano inteiro, um assistente pessoal que oferece aconselhamento personalizado. “Tem dúvidas em que […] Saber mais

  • in

    Symington Family Estates torna-se B Corporation

    A família Symington acaba de anunciar que a sua empresa passou o processo de certificação para se tornar uma B Corporation. A B Corp é uma comunidade global de empresas que são auditadas para ter os mais elevados padrões de ética empresarial e desempenho social e ambiental. Tornar-se uma B Corp obriga as empresas a […] Saber mais

  • in

    Amázzoni Gin traz botânicos da Amazónia para Portugal

    Chama-se Amázzoni Gin e chega a Portugal. Nascido da paixão do artista plástico Alexandre Mazza e do arquiteto italiano Arturo Isola, este gin artesanal tem assinatura do mixologista argentino Tato Giovannoni e explora botânicos dos biomas brasileiros, alguns dos quais originais da floresta amazónica. “É um produto que nasceu de forma espontânea, não veio de […] Saber mais

  • Publicidade

  • in

    Insania quer ocupar quota da Amazon em Portugal

    A falta de representação da Amazon em Portugal é vista como uma oportunidade pela Insania, que repensou todo o seu negócio e a presença online para poder acompanhar aquela que é vista como uma referência mundial do mercado eletrónico. “Temos a ambição de cobrir a ‘mancha’ em aberto que a Amazon não preenche em Portugal […] Saber mais

  • in

    Esporão Colheita chega ao mercado

    O Esporão Colheita Tinto 2017 e o Esporão Colheita Branco 2018 chegam ao mercado. Produzidos com uvas da Herdade do Esporão e os primeiros vinhos biológicos certificados do produtor, estes dois vinhos recorrem à vinificação em túlipas de betão, que potencia um perfil mais direto e demonstrativo da origem e ano de colheita, revelando o […] Saber mais

  • in

    E.Leclerc arrisca-se a multa de 117 milhões de euros

    O governo francês quer multar o E.Leclerc em 117 milhões de euros, acusando-o de utilizar a sua central de compras na Bélgica para violar as regras da concorrência. Este domingo, dia 21 de julho, o Ministério da Economia e Finanças francês anunciou um procedimento contra quatro entidades do grupo presidido por Michel-Edouard Leclerc, designadamente, a […] Saber mais

  • in

    KuantoKusta lança plano de branding para angariar 20 parceiros até 2020

    O KuantoKusta lançou um plano de “branding” que visa angariar 20 parceiros até 2020 que, em conjunto, promovam ações e eventos junto dos consumidores finais para uma maior notoriedade das marcas e um reforço da sua penetração no mercado nacional. “Queremos 20 parceiros connosco com o mesmo posicionamento estratégico no mercado e que partilhem dos […] Saber mais

  • in ,

    PepsiCo compra a Pioneer Foods para crescer em África

    A PepsiCo chegou a acordo para adquirir todas as ações da empresa sul-africana Pioneer Foods Group, por 1.510 milhões de euros, reforçando, assim, a sua presença na África subsariana. A Pioneer Foods possui uma sólida carteira de produtos, relevante a nível local e que complementa a atual linha da PepsiCo. “À medida que procuramos acelerar […] Saber mais

  • in ,

    Carrefour em parceria internacional para as entregas com a Glovo

    O Carrefour anunciou uma parceria estratégica com a Glovo, no domínio das entregas, que cobre os mercados francês, espanhol, italiano e argentino e que deverá arrancar em outubro. A parceria irá permitir aos clientes receberem as encomendas que fizerem online em 30 minutos. Para usarem o serviço, deverão escolher de uma seleção de 2.500 produtos, […] Saber mais

  • in

    Parlamento aprova fim de sacos de plástico para fruta e loiça de plástico descartável

    O Parlamento aprovou por unanimidade o fim da distribuição de sacos e cuvetes de plástico para pão, frutas e legumes no comércio e da venda de loiça descartável em plástico. Todos os partidos votaram a favor de um projeto dos Verdes, que se aplica a “todos os estabelecimentos comerciais que vendem pão, legumes e frutas“. O […] Saber mais

Carregar mais
Congratulations. You've reached the end of the internet.

Publicidade

Publicidade

Back to Top
Close Add post

Log In

Forgot password?

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy