in

Sonae regista lucro de um milhão de euros no 1.º trimestre

As vendas da Sonae subiram 5,8% para os 1.641 milhões de euros, um valor recorde num primeiro trimestre, impulsionadas pelo desempenho da Sonae MC e da Worten, bem como pelos canais digitais dos diferentes negócios. Efetivamente, as vendas online cresceram 2,3 vezes face ao período homólogo.

O lucro atingiu um milhão de euros, o que compara com os prejuízos de 59 milhões de euros em igual período do ano passado.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) fixou-se nos 128 milhões de euros, em linha com o primeiro trimestre de 2020, suportado pela melhoria do resultado líquido da NOS/Zopt e da ISRG, o que compensou a mais-valia registada nos primeiros três meses do ano passado com a transação do Sierra Prime.

O EBITDA subjacente seguiu a tendência do volume de negócios e aumentou 14,1%, para 114 milhões de euros, impulsionado pelo crescimento da Sonae MC e da Worten, “que mais do que compensou o impacto das restrições noutros negócios decorrentes da pandemia“, refere a Sonae.

 

Investimento mais do que duplica

A Sonae prosseguiu com o desenvolvimento dos seus negócios, tendo o investimento total atingido 126 milhões de euros, mais do que duplicando face aos 60 milhões de euros verificados no período homólogo. A Sonae concretizou a aquisição de uma participação adicional na Sonae Sierra, passando a deter 80% do seu capital, a Sonae IM investiu na tecnológica finlandesa Sellforte e os diversos negócios continuaram a investir nas suas propostas de valor, em particular nas suas estratégias digitais.

Relativamente à gestão de portfólio, nos últimos 12 meses, a Sonae reforçou a sua posição acionista na NOS (7,38%), na Salsa (50%) e, mais recentemente, na Sonae Sierra (10%), num investimento total de M&A de 317 milhões de euros, em que se incluem também investimentos da Sonae IM.

 

Sonae MC cresce 6,6%

A Sonae MC alcançou um volume de negócios total de 1,3 mil milhões de euros, registando um crescimento de 6,6% face ao primeiro trimestre de 2020 e um crescimento comparável das vendas de 3,6%, essencialmente suportado pelo desempenho dos formatos Continente- que registaram um crescimento das vendas “like for like”de 4%.

Em relação à rentabilidade, o EBITDA subjacente aumentou 14%, impulsionado pela evolução das vendas, apesar de ter sido penalizado pelos custos relacionados com a Covid-19. No final do primeiro trimestre, o EBITDA subjacente ascendeu a 110 milhões de euros com uma margem de 8,6%, mais 55 pontos base.

 

Worten cresce mais de 17%

Já oi volume de negócios total da Worten atingiu 272 milhões de euros, crescendo 17,4% face ao primeiro trimestre, suportado por um crescimento comparável de vendas de 29,3%. A operação online continua a representar um peso de dois dígitos no volume de negócios total, crescendo 2,5 vezes face ao ano passado, com o marketplace a ser um dos principais impulsionadores. Em Portugal, a Worten apresentou um desempenho robusto em termos de vendas comparáveis de 28,2%.

Relativamente à rentabilidade, o EBITDA subjacente cresceu de 8,2 milhões para 17,3 milhões de euros no primeiro trimestre, com uma melhoria da margem de 3,5% para 6,4%, essencialmente devido ao forte crescimento das vendas em Portugal.

Na Sonae Fashion, o volume de negócios total diminuiu 21,7%, para 61 milhões de euros, o que, de acordo com as estimativas, traduz um desempenho melhor do que o mercado.

Publicidade

Nestlé Juntos pelas Abelhas

Nestlé entrega 400 núcleos de abelha-rainha a apicultores portugueses

Sustentabilidade

93% das empresas em Portugal defende criação de benefícios fiscais para apoiar a transição energética