in

Maria é a nova marca do Grupo Luís Vicente para a fruta portuguesa

A produção nacional do Grupo Luís Vicente já tem nome: Maria. Com esta marca, o Grupo Luís Vicente pretende seduzir os consumidores, tanto no mercado nacional, como nos mercados externos onde está presente.

A Maria é a insígnia destinada às frutas nacionais do grupo da região do Oeste, nomeadamente Pera Rocha, mas também maçãs, ameixas, pêssegos, nectarinas, dióspiros e marmelos.

A nova marca foi apresentada na Fruit Logistica, em Berlim, que decorre entre 6 e 8 de fevereiro. O lançamento contou com a presença do ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos. “A Maria traduz a nossa paixão pela fruta portuguesa. A marca nasce da nossa vontade em nos assumirmos como a empresa de referência da produção nacional. Ainda não tínhamos uma marca que agregasse todas as frutas que produzimos no nosso território e a Maria é a oportunidade para nos apresentarmos como produtores de fruta intrinsecamente portuguesa, com todas as características que são reconhecidas à produção nacional: frescura, qualidade, sabor, respeito pela natureza”, explica Miguel Barbosa, diretor geral da Luís Vicente, empresa responsável pela produção e comercialização de mais de 70 mil toneladas de frutas e legumes em todo o mundo.

O lançamento contou com a presença do ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos

Atualmente, 25% do volume de negócios do grupo, que, em 2018, atingiu 75 milhões de euros, já se devem à exportação. Brasil, mercados europeus, Marrocos e Angola são os principais destinos da fruta do grupo, incluindo a de produção nacional e que, com a Maria, ganha agora capacidade de diferenciação perante a concorrência. O objetivo da nova marca é reforçar a presença da fruta nacional em mercados como o Brasil, Canadá, Estados Unidos, Marrocos, Angola e mercados da Europa, abordando também novas geografias como Colômbia e México. Mas também estará presente no mercado nacional, “para mostrar aos portugueses que temos paixão pelo que é nosso e tem qualidade”, reforça o responsável.

O “branding” Maria – Frescura Portuguesa (Maria – Portuguese Freshness, na versão internacional) foi desenvolvido pela TerraProjectos, consultora especializada no sector agroalimentar, e apela à portugalidade da fruta. “A Maria surgiu por ser um nome muito português, facilmente associável a Portugal e, também por isso, tem um forte apelo junto dos mercados lusófonos, da saudade. Ao mesmo tempo, não é um nome estranho para os países anglo-saxónicos. Queremos apresentar a nossa Maria como uma fruta madura, atrevida, sedutora, fruto da paixão. Que é como os consumidores veem a produção nacional: ser português pesa na decisão dos consumidores, em todos os mercados onde estamos presentes”, sublinha Miguel Barbosa.

A Maria vem assim juntar-se às outras marcas do portfólio do Grupo Luís Vicente: a Plump, insígnia para a fruta tropical que a empresa produz no Brasil e Costa Ric, a Kibala, para os legumes produzidos em Angola, e a Frubis, marca de fruta desidratada.

Publicidade

Publicidade

Alimentaria&Horexpo Lisboa recebe 3.º Fórum de Distribuição – Retalho 20-30

Vendas da DIA descem 3,1% em Portugal