in

Metade das empresas de restauração e alojamento com quebras de 90% na faturação em março

No mês em que se assinalou um ano completo de pandemia de Covid-19 em Portugal, as empresas da restauração e similares e do alojamento turístico atravessaram o seu período mais difícil. O inquérito mensal relativo ao mês de março revela que 49% das empresas de restauração e igual percentagem das empresas de alojamento registaram quebras de faturação acima de 90%.

De acordo com o inquérito da AHRESP, 52% das empresas indica estar com a atividade totalmente encerrada e 29% pondera avançar para insolvência, dado que as receitas realizadas e previstas não permitirão suportar todos os encargos que decorrem do normal funcionamento da sua atividade.

Como consequência da forte redução de faturação, 14% das empresas não conseguiiu efetuar o pagamento dos salários em março e igual percentagem só o fez parcialmente. Perante esta realidade, 43% das empresas já efetuou despedimentos desde o início da pandemia. 8% das empresas assume que não vai conseguir manter todos os postos de trabalho até ao final do mês de junho.

 

Alojamento turístico

No alojamento turístico, 29% das empresas indica estar com a atividade suspensa. Em março, 49% não registou qualquer ocupação e 28% indicou uma ocupação até 10%.

17% das empresas pondera avançar para insolvência, por não conseguir suportar todos os normais encargos da sua atividade. Como consequência da forte redução de faturação, 27% das empresas não conseguiu efetuar o pagamento de salários em março e 6% só o fez parcialmente. Ao nível do emprego, 28% das empresas já efetuou despedimentos desde o início da pandemia.

Publicidade

Lokk

Cloud e inteligência artificial chega a armários e cacifos pela portuguesa Lokk

APED - o-futuro-do-retalho-1080x1080-3

Cláudia Azevedo e Pedro Soares dos Santos debatem futuro do retalho na conferência APED