in , ,

Mais de 40% dos consumidores globais restringiu o consumo de produtos de origem animal

Foto Shutterstock

Uma nova pesquisa da Euromonitor apurou que apesar da percentagem de consumidores que seguem uma dieta vegan ou vegetariana rigorosa ser ainda relativamente pequena, os que restringiram o consumo de produtos de origem animal representam já 40% dos consumidores mundiais.

O estudo “Going Plant-Based: The Rise of Vegan and Vegetarian Food” procurou determinar os locais onde o veganismo e vegetarianismo são mais elevados, o que este tipo de dietas significa para os consumidores e que categorias de produtos se revelam mais promissoras. Reino Unido e Austrália têm a maior percentagem de consumidores que declaram restringir o consumo de produtos de origem animal, com 45% a confirmar esta abordagem. A média, a nível mundial, é de 42%.

 

Tendências

O Reino Unido também apresenta a percentagem mais elevada de consumidores que assumem seguir um regime alimentar vegetariano rigoroso, com 7%, seguido pelos Estados Unidos da América, com 5%.

Uma das maiores tendências nesta área tem sido o crescimento das alternativas aos lacticínios. A Euromonitor apurou que os gelados e iogurtes alternativos tiveram um desempenho particularmente forte nos Estados Unidos, Reino Unido e Irlanda, com quotas de prateleira digital mais elevadas, no ano passado.

As alternativas à carne são outra categoria em crescimento, com muitos produtores na Europa Ocidental a adotarem uma posição vegetariana para estes produtos, privilegiando-a face à vegan, devido à utilização de alguns ingredientes de origem animal, como os ovos.

Publicidade

lg-telefones

LG abandona o mercado das telecomunicações móveis

Vinhos da Península de Setúbal

Vinhos da Península de Setúbal disponíveis online através do Dott