in

Empresas exigem ao Governo britânico exerça um maior controlo das cadeias de valor

Foto Willy Barton/Shutterstock

Um grupo de 36 empresas, incluindo a Primark, a Asos, a New Look e a The Body Shop, assinaram um manifesto, apelando ao governo britânico para que exija às empresas que façam as devidas diligências em matéria humanitária e ambiental.

A iniciativa é apresentada com o intuito de “evitar o abuso de direitos humanos e danos ambientais“, declaram num comunicado conjunto.

A crise Covid-19 está a demonstrar a fragilidade das cadeias de valor globais e a vulnerabilidade que criam para os trabalhadores e comunidades indígenas“, lê-se no documento apresentado ao Governo britânico. A medida proposta é forçar as empresas do país a publicar informações detalhadas e regulares sobre o seu impacto ambiental e social.

Os promotores da medida baseiam-se na lei britânica contra a escravatura moderna, justificando que é “pioneira no estabelecimento de normas (sociais) para as empresas“.

Assinam também a iniciativa a Tesco, a Unilever, a Microsoft e a Nestlé, entre outros.

Publicidade

Sustentabilidade

Jovens revelam grandes preocupações com o ambiente

IKEA

Vendas da Ikea em Portugal crescem 5%