in ,

KuantoKusta: aumenta a procura por material escolar e produtos de casa em agosto

procura

O material de escritório e papelaria (+45,45%), os produtos de casa e decoração (+32,34%) e os artigos de desporto (+27,78%) registaram as maiores subidas de procura na última quinzena de agosto, avança o comparador de preços KuantoKusta após uma análise à atividade dos consumidores portugueses durante o mês de agosto.

A completar a lista de categorias com a maior variação positiva entre 15 e 31 de agosto, encontram-se puericultura e brinquedos (+18,66%), informática (+13,11%), animais de estimação (+9,28%), gaming (+8,93%), imagem e som (+7,11%), bricolagem e construção (+5,77%) e moda e acessórios (+5,47%).

De acordo com André Duarte, diretor comercial do KuantoKusta, o regresso às aulas e à rotina de trabalho explicam a crescente preocupação das famílias com o material escolar e artigos de casa.

O mês de julho foi a altura em que os portugueses tiveram de enfrentar o calor e isso refletiu-se na corrida aos artigos de climatização e até de jardim. Com a aproximação do início do ano letivo, o aumento da procura por material escolar é natural e expectável, e são as mochilas e calculadoras (especialmente as gráficas), os mais procurados por serem os mais caros e, por isso mesmo, com maior peso no orçamento dos pais e encarregados de educação”, explica o mesmo responsável.

Com o regresso das famílias a casa e à rotina de trabalho, depois do período de férias, aumenta também a procura por produtos relacionados com home living, com têxteis para casa (+274,19%), quadros decorativos (+245,83%) e capas de edredom (+239,47%) a registarem as maiores subidas.

A subida de produtos para a casa é uma tendência do mês de agosto que se verificou também nos últimos 2 anos. Tem sido um período escolhido por uma fatia muito grande dos consumidores para renovarem as suas casas. Esta é a segunda categoria mais pesquisada e já em julho foi das mais procuradas pelos consumidores”, reforça André Duarte.

 

O perfil do consumidor online

As faixas etárias com maior poder de compra, compreendidas entre os 35 e 44 e os 45 e 54, continuam a representar a maior fatia dos consumidores online (25,36% e 20,72%, respetivamente). As faixas etárias abaixo são as nativas digitais e com um mindset de compra naturalmente online: o grupo dos 18 aos 24 anos compõe 10,95% dos utilizadores e a faixa dos 25 aos 34 anos representa 18,38%.

Quanto à localização, é no litoral que se encontra a maioria dos consumidores online, sendo os distritos de Lisboa (36,33%) e do Porto (28,72%) os mais expressivos, seguidos de Setúbal (5,59%), Braga (5,80%) e Aveiro (4,26%).

retalho

Vendas a retalho europeias regressam a números positivos em julho

Huawei

Huawei MateView SE à venda em Portugal