in

Volume de negócios da STEF marca retorno às tendências pré-Covid

A STEF anuncia um volume de negócios de 848,8 milhões de euros, no segundo trimestre, que marca um retorno às tendências pré-Covid. Segundo a empresa europeia de logística, a retoma mantém-se, contudo, heterogénea, de acordo com as atividades e zonas geográficas.

No semestre, o volume de negócios do grupo ascendeu a 1.636,8 milhões de euros (mais 7,5% em perímetro constante).

Stanislas Lemor, presidente-diretor geral STEF, refere que “o grupo regista uma sólida progressão do seu volume de negócios no segundo trimestre, embora sem atingir o valor de 2019 para o mesmo período. Apesar das atividades permanecerem contrastantes, o grupo voltou ao crescimento desde o levantamento das restrições sanitárias impostas ao sector da restauração na Europa. Além disso, a STEF apresentou a sua iniciativa climática 2030, que coloca o foco no desenvolvimento de uma mobilidade sustentável e de uma cadeia de frio responsável. Esta baseia-se em três objetivos principais: reduzir em 30% as emissões de gases com efeito de estufa dos seus veículos, até 2030, consumir 100% de energia com baixo teor de carbono nos seus edifícios, até 2025, e integrar os seus subcontratados no seu compromisso com o desenvolvimento sustentável”.

A aquisição das atividades do Nagel Group, em Itália e na Bélgica, a 31 de dezembro, contribuiu com 16,6 milhões de euros no volume de negócios da STEF Internacional no segundo trimestre.

 

STEF França

As atividades de restauração e de produtos do mar permaneceram impactadas pela crise sanitária. Desde meados de maio, com o levantamento das restrições no sector da restauração, estas duas atividades registam uma melhoria significativa.

A atividade de logística para a GMS permaneceu dinâmica, apesar de registar um ligeiro abrandamento, quando comparado com os volumes excecionais verificados em 2020, no auge da crise sanitária.

A atividade de congelado mantém uma taxa de ocupação elevada dos seus armazéns e as atividades de transporte refrigerado em rede beneficiaram diretamente do levantamento das restrições sanitárias, no final do trimestre.

O segmento temperado e seco alimentar apresentou uma boa dinâmica, impulsionada pela extensão da plataforma de Orléans.

 

STEF Internacional

Em Itália e na Bélgica, a integração das atividades adquiridas ao Nagel Group, no início de 2021, contribuíram para o aumento significativo do volume de negócios e para a melhoria da cobertura geográfica nestes dois países.

Espanha registou um bom desempenho, resultado de um crescimento orgânico sustentado e de um aumento da sua atividade de transporte para um cliente da grande distribuição.

Portugal manteve a sua dinâmica comercial, apoiando-se na nova plataforma em Alenquer, nas proximidades de Lisboa.

Na Suíça, o trabalho das equipas comerciais continua a dar frutos. A capacidade da plataforma de Kölliken, na Suíça alemã, está otimizada graças ao afluxo de novos clientes.

 

Marítima

Na Córsega, a La Méridionale realizou o seu primeiro trimestre completo de serviço aos portos de Ajaccio e Propriano, no âmbito da nova delegação de serviço público.

A nova rota Marselha-Tanger foi fortemente impactada, até meados de junho, pelas restrições ao transporte de passageiros associadas à crise sanitária.

No final junho, o volume de negócios do semestre foi muito superior ao de 2020 (1.636,8 milhões de euros, mais 9,8%), mas permaneceu inferior ao de 2019 (1.665,9 milhões de euros, ou seja menos 1,7%).

Publicidade

Influencers

Honestidade é o atributo mais valorizado nos influencers

E-commerce

Worten volta a liderar entre os sites de e-commerce