Insolvências
in

Decréscimo de 23,6% nas novas constituições em 2020

A constituição de novas empresas em 2020 decresceu, de um total de 49.193, em 2019, para 37.589, em 2020, o que traduz uma diminuição de 23,6%.

Esta descida na criação de novas empresas está relacionada com a situação epidemiológica provocada pela pandemia de coronavírus.

No campo das insolvências, o ano passado fechou com um decréscimo de 1,4%, face a 2019, que poderá ser explicado pelo impacto favorável das medidas de apoio estatal às empresas, que travaram, para já, um incremento significativo neste indicador. O ano terminou com um total de cinco mil insolvências, menos 71 que em 2019. O valor apurado em 2020 foi substancialmente inferior aos números apurados no fecho de 2018 (-15,1%) e de 2017 (-20,4%).

Porto e Lisboa continuam a ser os distritos com o total de insolvências mais elevado, 1.285 e 1.015, respetivamente. Face a 2019, verifica-se uma diminuição de 2,6% em Lisboa e um aumento de 4,6% no Porto.

Dez distritos terminaram o ano passado com decréscimos nas insolvências: Coimbra (-27,7%), Guarda (-19,6%), Viseu (-13,9%), Aveiro (-13,7%), Portalegre (-12,1%), Braga (-7,7%), Santarém (-6,7%), Setúbal (-4,1%), Ponta Delgada (-2,6%) e, como já referido, o distrito de Lisboa (-2,6%).

Os aumentos nas insolvências registam-se em 12 distritos: Horta (33,3%), Castelo Branco (26,3%), Vila Real (23.3%), Faro (18,6%), Viana do Castelo (17,3%), Madeira (17,1%), Évora (15%), Bragança (10,8%), Beja (6,7%), Angra do Heroísmo (5,6%), Porto (4,6%) e, por último, Leiria (1%).

Por sectores de atividade, os aumentos nas insolvências foram registados nas áreas de telecomunicações (33,3%), hotelaria e restauração (17,6%) e outros serviços (4%). A indústria extrativa e o sector dos transportes tiveram uma variação nula face a 2019, enquanto
os restantes apresentaram decréscimos, com as descidas mais acentuadas a verificarem-se nos sectores de eletricidade, gás e água (-7,1%), indústria transformadora (-7%), comércio a retalho (-5,3%), construções e obras públicas (-4,9%), comércio de veículos (-2,9%), agricultura, caça e pesca (-2,2%) e comércio por grosso (-1,8%).

 

Menos 11.604 empresas constituídas

Em 2020, foram criadas 37.589 novas empresas, menos 11.604 que no período homólogo de 2019, o que traduz um decréscimo de 23,6%. O número mais significativo de novas constituições verificou-se em Lisboa, com 11.912 novas empresas, e no Porto, com 6.681 constituições. Contudo, estes valores traduzem decréscimos acentuados face a 2019, de 28,6% em Lisboa e de 25,5% no Porto.

A maioria dos distritos apresentou descidas neste indicador, sendo as mais pronunciadas nos distritos de Setúbal (-30,5%), Angra do Heroísmo (-27,7%), Ponta Delgada (-27,1%), Faro (-26,3%), Madeira (-23%), Aveiro (-21,3%), Leiria (-19,9%), Viana do Castelo (-19,4%), Coimbra (-18,1%), Vila Real (-15,9%), Horta (-15,8%), Braga (-15,1%), Santarém (-15,1%), Guarda (-14,5%), Viseu (-7,6%), Beja (-6,6%), Évora (-5,8%), Bragança (-4,7%) e Castelo Branco (-0,6%).

O único aumento surgiu no distrito de Portalegre, com 310 novas empresas, mais dez que em 2019 (aumento de 6,9%).

Todos os sectores diminuíram as novas constituições. As variações mais acentuadas aconteceram nos sectores dos transportes (-55,5%), hotelaria e restauração (-29,3%), eletricidade, gás e água (-25,4%), indústria extrativa (-25%), construções e obras públicas (-22,6%), outros serviços (-21,6%), comércio de veículos (-20,5%), comércio por grosso (-19%), indústria transformadora (-16,6%), comércio a retalho (-8,5%), agricultura, caça e pesca (-7,4%) e telecomunicações (-7,2%).

ID Logistics

ID Logistics é responsável pela gestão logística da Dan Cake e da Internacional Vinhos

Go Natural

Supermercados Go Natural juntam-se à Too Good To Go