in

Crescimento do comércio de mercadorias abranda devido a perturbações em sectores críticos

Foto Shutterstock

Após uma forte recuperação, depois do impacto inicial da pandemia de Covid-19, o comércio global de mercadorias está a abrandar, em consequência das perturbações da produção e da oferta em sectores críticos que estão a travar o crescimento e a provocar uma contração na procura de importações, de acordo com o mais recente barómetro da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O Barómetro do Comércio de Mercadorias é um indicador composto que fornece informações em tempo real sobre a trajetória do comércio de mercadorias em relação às tendências recentes. A última leitura do barómetro de 99,5 está próxima do referencial de 100 para o índice, indicando um crescimento em linha com as tendências recentes.

O regresso à tendência observada no barómetro de setembro segue-se à leitura recorde de 110,4 do barómetro anterior, publicado em agosto, que refletiu tanto a força da recuperação do comércio como a profundidade do choque induzido pela pandemia no ano passado. As recentes perturbações na oferta, incluindo o encerramento dos portos, devido ao aumento da procura de importações no primeiro semestre, e a interrupção da produção de bens fortemente comercializados, como automóveis e semicondutores, contribuíram para a diminuição do barómetro.

Agora, parece que a procura de bens transacionados também está a desacelerar, como evidenciado pela queda das encomendas de exportação, que diminuiu ainda mais o barómetro. O arrefecimento da procura de importações poderia ajudar a aliviar o congestionamento dos portos, mas é pouco provável que os atrasos sejam eliminados enquanto a procura de contentores se mantiver em níveis recorde ou próximos.

 

Perda de impulso

Todos os índices que compõem o barómetro caíram no último período, refletindo uma larga perda de dinamismo no comércio mundial de mercadorias. O declínio mais acentuado ocorreu no índice de produtos automóveis (85,9), que ficou abaixo da tendência, uma vez que a escassez de semicondutores travou a produção de veículos em todo o mundo.

Esta escassez refletiu-se também no índice de componentes eletrónicos (99,6). As taxas de transporte de contentores (100,3) e matérias-primas (100) também voltaram às suas tendências recentes. Apenas o índice de transporte aéreo (106,1) se manteve firmemente acima da tendência, uma vez que as transportadoras procuram substitutos para o transporte marítimo.

 

Comércio mundial

A última leitura do barómetro coincide com as previsões comerciais revistas da OMC de 4 de outubro, que preveem um crescimento do volume do comércio mundial de mercadorias de 10,8%, em 2021, acima dos 8% de março, seguido de um aumento de 4,7%, em 2022.

A previsão também mostrava que o crescimento trimestral do comércio iria abrandar no segundo semestre de 2021, à medida que o volume do comércio de mercadorias se aproximava da sua tendência pré-pandemia.

As perspetivas para o comércio mundial continuam a ser ensombradas por riscos significativos de desvantagem, como as disparidades regionais, a contínua debilidade do comércio de serviços e os atrasos na vacinação, especialmente nos países pobres. A Covid-19 continua a ser a maior ameaça às perspetivas comerciais, uma vez que novas ondas de infeção podem facilmente minar a recuperação.

Publicidade

360hyper - Nuno Serradas Duarte (CEO), Diogo Silva (CTO) e Filipe Nery (CCO)

360hyper quer expandir entregas de principais supermercados a todo o país

sw!g

SW!G promove campanha Black Wednesday