in

CEGOC revela as principais tendências do futuro da aprendizagem

A CEGOC apresentou os principais resultados do estudo internacional “Transformation, Skills & Learning”, que teve como principal objetivo analisar e compreender o momento provocado pelo surto pandémico surgido em 2020 e o impacto que este vai continuar a ter no futuro próximo de todos os profissionais, organizações e prestadores de serviços do sector da formação e desenvolvimento profissional.

Se, durante muito tempo, se verificou um desenvolvimento acelerado, mas constante, a nível da disrupção tecnológica e das transformações no mercado de trabalho e nas práticas de desenvolvimento do talento, quase sempre pautado pela emergência de novas, mas esperadas, tendências, abordagens e necessidades, hoje, o cenário de rutura entre as práticas formativas passadas e de futuro é mais evidente do que nunca. O estudo revela uma aceleração acentuada de quatro tendências fundamentais.

 

Desenvolvimento de competências mais estratégico

Os diretores de recursos humanos reconhecem que as competências utilizadas em 45% das profissões existentes nas organizações poderão tornar-se obsoletas nos próximos três anos. O desenvolvimento de competências é a primeira alavanca ativada por 75% dos departamentos de recursos humanos para lidar com o impacto das transformações tecnológicas.

89% das organizações ajustou a sua oferta formativa durante a crise pandémica. Entre as ações levadas a cabo em resposta às transformações tecnológicas, 69% optou pelo “upskilling” dos profissionais existentes e 48% contratou profissionais com novos perfis.

 

Transformação digital na formação a acelerar

81% dos responsáveis de recursos humanos considera que será dada maior ênfase à formação online à distância depois da pandemia. Durante o confinamento, 64% dos colaboradores participou em percursos de aprendizagem à distância e 21% está preocupado com a utilização da tecnologia.

 

Necessidade de consolidar competências sociais e digitais a aumentar

As Soft Skills, competências sociais, comportamentais e humanas (34%) e as competências digitais (35%) precisam ser rapidamente reforçadas. 77% dos colaboradores considera que as transformações digitais podem alterar por completo a sua forma de trabalhar e 27% afirma que podem levar à extinção dos seus postos de trabalho.

 

Colaboradores estão cada vez mais envolvidos na sua formação

90% dos colaboradores europeus está disposto a aceder a percursos de aprendizagem por conta própria, para responder eficazmente às mudanças nas suas profissões e no mercado de trabalho. 45% está disposto a financiar parte da sua formação e 71% aceitaria frequentar uma formação no seu tempo livre.

Publicidade

Silvérios

Silvérios disponível nas lojas Aldi

Consumidores

Estudo evidencia gaps de perceção face à realidade dos portugueses em tempos de pandemia