in

C&A convida todas as mulheres a sentirem-se orgulhosas dos seus corpos com a sua campanha #BodyPositive

Marca reafirma assim o seu compromisso pela diversidade e inclusividade

Body Positive

Sentir-se bem com o próprio corpo e ser-se feliz por sermos quem somos são duas das principais mensagens que a C&A quer transmitir com a sua nova campanha #BodyPositive.

A marca reforça, assim, a sua estratégia de responsabilidade social corporativa e os seus valores enquanto marca direcionada para todos os públicos e com a qual as mulheres reais se podem identificar. “A C&A é uma marca para mulheres reais e, historicamente, temos trabalhado nessa abordagem nas nossas campanhas e no design/oferta das nossas coleções. Com o lançamento desta campanha, queremos reforçar a inclusão nos nossos produtos, uma vasta gama de roupas para todas as idades, géneros e tamanhos, e lembrando que todos devemos estar bem diariamente, independentemente do nosso tamanho, idade ou silhueta”, afirma Leticia Pérez de Camino, Lead Content Marketing, Brand Communication, Fashion PR & Events Europe na C&A.

Com esta ação, a marca estabelece também mais uma iniciativa inédita na sua história, ao criar e desenvolver uma campanha europeia com recurso a uma equipa espanhola e de forma local, naquele país. As três protagonistas são figuras reconhecidas no país vizinho que, acima de tudo, simbolizam os valores da diversidade e inclusão: Dafne Fernández, Cristina Cerqueiras e María Rodríguez.

 

Ação

A ação estará ativa em 10 mercados, através das redes sociais da marca (Instagram e do Facebook), e será adaptada e traduzida para todos os idiomas europeus.

O objetivo é que a mensagem #BodyPositive tenha continuidade durante o ano, graças a mais apoio e outros testemunhos de personalidades que mostrem o seu lado mais íntimo e pessoal sobre o tema.

No caso da atriz Dafne Fernández, que acaba de ser mãe pela segunda vez, surge o discurso das mudanças físicas nas mulheres quando vivem a maternidade. O seu objetivo é romper com os mitos em torno da maternidade e do pós-parto, para incentivar a aceitação da mudança que transforma os corpos das mulheres, assim como das outras mudanças ao longo da vida. “O movimento ‘body positive’ veio desmistificar os estereótipos em torno da mulher e vem cada vez mais libertar-nos daquela pressão para que fiquemos perfeitas uma semana depois de dar à luz”, expressou a atriz.

A influenciadora Cristina Cerqueiras passou por várias operações na anca quando era mais jovem, o que resultou numa grande cicatriz, bem como em limitações à prática de, por exemplo, atividades desportivas. Na escola, sofreu de bullying e a sua reação mais natural foi sempre esconder as suas marcas. “Não gostava de ver ninguém sentir-se limitado por uma cicatriz e que parasse de fazer as coisas de que mais gosta”, diz.

Por sua vez, a influenciadora María Rodríguez luta com o seu corpo desde criança. Aos oito anos, iniciou uma dieta e, na adolescência, o uniforme escolar foi a sua salvação, pois não encontrava roupa do seu tamanho de que gostasse. “Não sou gorda, estou gorda, e o tamanho não limita nem os sonhos nem as capacidades”.

Jerónimo Martins

Jerónimo Martins integra índice mundial de igualdade de género

El Corte Inglés Banco Alimentar

Clientes e colaboradores do El Corte Inglés doam 17 toneladas de alimentos ao Banco Alimentar