Insolvências
in

Aumento superior a 26% nas insolvências nos cinco primeiros meses de 2021

As insolvências registaram um crescimento de 3,3%, em maio último, face ao período homólogo do ano passado. O mês fechou com 528 insolvências, mais 17 que em maio de 2020.

Em valores absolutos, o acumulado é de 2.438 insolvências, uma variação de mais 505 insolvências e um crescimento homólogo de 26,1%, de acordo com a Iberinform.

Por tipologias, até final de maio, as declarações de insolvência requerida por terceiros apresentaram um incremento de 43,4%, com mais 152 ações. As declarações de insolvência apresentada pelas próprias empresas aumentaram 3,4%, com uma variação de mais 16 ações face ao período homólogo de 2020. Foram registados 1.430 encerramentos efetivos (declaração de insolvência), o que traduz um incremento de 30,5% face ao ano anterior. Os encerramentos com plano de insolvência ascenderam a 25 (+13,6%).

Porto e Lisboa foram os distritos com mais insolvências, 602 e 568, respetivamente. Face a 2020, verificou-se um aumento de 46,4% em Lisboa e de 24,6% no Porto.

Outros distritos com aumentos nas insolvências são Vila Real (+140%), Guarda (+111,1%), Castelo Branco (+64,3%), Portalegre (+58,3%), Coimbra (+55,1%), Madeira (+46,5%), Setúbal (+40,2%), Ponta Delgada (+40%), Braga (+34,2%), Viseu (+28,6%), Aveiro (+21,4%), Viana do Castelo (+18,9%), Leiria (+7,5%) e Évora (+5,9%).

Cinco distritos apresentaram decréscimos neste indicador: Horta (-50%), Angra do Heroísmo (-41,7%), Bragança (-41,2%), Faro (-25,4%), Santarém (-23,3%) e Beja (-23,1%).

 

Todas as atividades com aumento de insolvências

Há exceção do sector da agricultura, caça e pesca com variação nula, todas as atividades apresentaram um aumento nas insolvências. Os mais significativos foram nos sectores de telecomunicações (+600%), eletricidade, gás, água (+100%), hotelaria e restauração (+92.3%), comércio de veículos (+50%), indústria extrativa (+50%), construções e obras públicas (+29,8%), comércio por grosso (+28,4%), outros serviços (+27,1%), comércio a retalho (+10,1%), indústria transformadora (+10,1%) e transportes (+6,3%).

 

Constituições disparam 62,4% em maio 

A criação de novas empresas cresceu 62,4% em maio, face ao período homólogo de 2020. Foram constituídas 3.541 empresas, mais 1.361 que no comparativo (+62,4%).

Em valores absolutos, 2021 regista a criação de 17.722 novas empresas, mais 2.276 que no período homólogo de 2020, mas menos 27,1% que em 2019.

O número mais significativo de constituições registou-se em Lisboa, com 5.231 novas empresas (+6%), e no Porto, com 3.329 (+17,7%).
Todos distritos apresentaram variações positivas neste indicador, com os maiores aumentos percentuais registados em Bragança (+89,7%), Madeira (+61,4%), Horta (+59,3%), Viana do Castelo (+32,7%), Leiria (+28,3%), Viseu (+26,7%), Beja (+26,6%) e Santarém (+25,2%).
Por sectores, houve descidas nos transportes (-41,3%), eletricidade, gás e água (-16,1%) e hotelaria e restauração (-0,9%). Os aumentos nas constituições registaram-se na indústria extrativa (+166,7%), comércio a retalho (+55,9%), agricultura, caça e pesca (+41,7%), construções e obras públicas (+21,9%), telecomunicações (+20,6%), outros serviços (+19,7%), comércio por grosso (+8,5%), comércio de veículos (+6,7%) e indústria transformadora (+3,3%).

Barbie Loves the Ocean

Mattel lança primeira Barbie fabricada com plástico reciclado dos oceanos

Porta da Ravessa celebra 30 anos