in

Aposta nos frescos e medidas de transformação potenciam crescimento do Grupo DIA em Portugal

As medidas que o Grupo DIA tem vindo a implementar no mercado português está a traduzir-se num aumento das vendas, permitindo compensar os efeitos penalizadores da crise causada pela pandemia de Covid-19.

Nos primeiros nove meses, as vendas líquidas em Portugal cresceram 5,6% para os 472,3 milhões de euros, impulsionadas, precisamente pelas medidas de transformação e remodelação que estão a ser implementadas a nível local, centradas em ressalvar a oferta de produtos frescos, o que possibilitou compensar a queda do número de turistas registada nas principais cidades, durante a época alta das férias.

Globalmente, as vendas líquidas do grupo cresceram 2,2%, para os 5.194,5 milhões de euros, apesar da descida do turismo em algumas zonas de Espanha e de Portugal, da redução de 7,6% no número de lojas e do impacto monetário negativo do real brasileiro e do peso argentino. As vendas comparáveis aumentaram 7,9%, mantendo o impulso positivo registado desde o primeiro trimestre.

 

3.º trimestre

No terceiro trimestre, as vendas líquidas atingiram os 1.679 milhões de euros, o que pressupõe um aumento de 2,5%, graças, uma vez mais, aos esforços de transformação ainda em curso e apesar da redução da rede de lojas e do efeito cambial.

As vendas comparáveis mantiveram um crescimento sólido de 6,3%, impulsionado pelo aumento de 25,3% do tamanho da cesta média de compra, que compensou a diminuição de 15,1% do número de tickets de vendas.

O prejuízo reduziu para 58 milhões de euros e a dívida financeira líquida encolheu 72 milhões de euros, face a dezembro de 2019, para os 1.250 milhões de euros. “A DIA registou um bom trimestre em termos de vendas, à medida que a transformação em curso continua a avançar, melhorando a perceção e a experiência do cliente nos nossos estabelecimentos, com mais produtos frescos, lojas melhor geridas e uma atrativa gama de produtos de marca própria. Para além de uma proposta de valor comercial em contínua evolução, o trimestre representou um ponto de inflexão positivo na relação da DIA com os seus franqueados em Espanha e Portugal, com base na implementação do novo modelo de franquia, que permite um melhor alinhamento, estabiliza a saída de franqueados e introduz uma cultura melhorada de compromisso com os nossos parceiros”, comenta Stephan DuCharme, presidente executivo da DIA.

Publicidade

Continente

Leopoldina regressa para celebrar os 35 anos do Continente

Quinta da Biaia apresenta “rebranding” e novos vinhos