in , ,

Os 9 sectores de atividade mais afetados pelo Covid-19

Segundo a Moody’s, os cenários estimados para os sectores de atividade pressupõem uma normalização da atividade económica na segunda metade do ano. Mas a capacidade de algumas empresas suportarem os efeitos do surto do coronavírus dependerá da duração da pandemia.

Os sectores do vestuário, fabricantes automóveis, fornecedores de automóveis, bens de consumo duradouros, jogos, alojamento, turismo e lazer, companhias aéreas, retalho (produtos não alimentares) e encomendas são os que mais estão à mercê da evolução mundial da pandemia do Covid-19 e, como tal, dão sinais de fragilidade quanto à sua sobrevivência num futuro próximo.

Quanto ao alojamento, turismo e lazer (incluindo linhas de cruzeiro e restaurantes), tidos como altamente expostos em todo o mundo, sofrem as consequências da dependência do comércio e da livre circulação de pessoas, já muito condicionada em todo o mundo.

Os fabricantes automóveis também estão altamente expostos, devido à dependência de cadeias de fornecedores internacionais, muitas das quais estão a parar, bem como alguma exposição direta à China.

Quanto ao retalho de jogos e de produtos não alimentares, em certas regiões, também está altamente exposto. O retalho não alimentar está sujeito a interrupções na cadeia de fornecedores e um declínio no tráfego de pessoas é, cada vez mais, inevitável, já que os consumidores abstêm-se de fazer compras. No caso do retalho norte-americano não alimentar, estará ligeiramente melhor posicionado devido ao seu mix de negócios, incluindo farmácias e lojas de conveniência e postos de gasolina.

MercaChefe.pt aceita compras de particulares

Intermarché investe 5 milhões de euros numa nova loja em Samora Correia