in

Sector das bebidas com oportunidades de crescimento

O sector das bebidas continua a apresentar uma tendência de queda, embora a menor ritmo que em anos anteriores. Se em 2012 cada lar comprava 210 litros de bebidas, em 2015 a compra diminuiu até aos 189 litros, revelam os dados da Kantar Worldpanel.

As quedas mais relevantes foram verificadas nos refrigerantes com gás e nas cervejas, sendo a água sem gás a única categoria que não decresce. A consultora considera, contudo, que existem oportunidades dentro deste sector que, com uma penetração superior a 98% e uma frequência de compra de duas vezes por mês, acaba por ser um dos maiores e mais maduros dentro dos bens de grande consumo.

Num total de 14 categorias, apenas quatro superam uma penetração anual de 60% dos lares. Estas categorias têm espaço para crescer ao estarem presentes em mais cestas, já que apenas 25% das cestas em Portugal levam uma bebida. Esta percentagem desce até 6% nas cestas de necessidade imediata, que representam uma em cada duas compras feitas pelos lares.

Os dados da Kantar mostram, ainda, que as cestas que contêm bebidas levam, em média, 1,5 categorias em 14 potenciais. Mesmo nas cestas com maior quantidade de produtos, o número médio de bebidas diferentes é de 1,9. “Quer portanto em termos de melhor aproveitamento de compras, quer em termos de cabaz médio, existe espaço para comprarmos mais bebidas. Obviamente que crescer passa por conseguir aumentar o consumo per capita. Bastaria que se conseguisse que cada português acrescentasse um copo (200 mililitros) por semana e o impacto sobre o sector seria tão relevante que voltaríamos aos mesmos níveis de compra por lar que tínhamos em 2012”, diz a consultora.

Numa fileira que em 2014 tinha já apresentado uma forte intensidade promocional, no ano passado, 63% das categorias aumentaram essa pressão e também o desconto médio concedido. Não obstante o sector não crescer por esta via, nem em volume, nem em valor. As oportunidades de crescimento, diz a Kantar, encontram-se no consumo fora das principais refeições, já que quer a cerveja, quer as colas, lima-limão e ice teas estão pouco desenvolvidos nesses momentos de consumo.

Publicidade

Nespresso apresenta Limited Edition Ruanda e México

Portugueses estão a fazer mais refeições fora do lar