in

Restauração e alojamento perderam 100 mil postos de trabalho

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou que, no final do primeiro trimestre, a restauração, similares e alojamento turístico tinham um total de 221.400 postos de trabalho. Este dado representa uma redução homóloga de 31,4% face ao homólogo de 2020.

Perante a realidade dramática destes dados, a AHRESP reitera a necessidade do reforço e continuidade dos apoios a fundo perdido às empresas destes sectores, nomeadamente para a manutenção dos postos de trabalho. “Sem estes apoios continuaremos a assistir a uma destruição massiva de emprego e de empresas“, sublinha a AHRESP. “É igualmente da maior importância que estes apoios sejam adequados à estrutura empresarial das nossas atividades económicas, esmagadoramente de micro dimensão (mais de 95%), e que sejam concedidos de forma direta, ágil e simplificada“.

 

Desconfinamento

Apesar do desconfinamento estar a incentivar o início da retoma na restauração e no alojamento, a AHRESP refere que a situação das empresas ainda é muito preocupante, consequência de mais de um ano com enormes prejuízos. “Devem assim ser envidados todos os esforços para se evitarem perdas sociais gravíssimas“.

Publicidade

Pernod Ricard

Pernod Ricard apresenta Beefeater Light e Ballantine’s Light

Lavradores de Feitoria

Lavradores de Feitoria lança o seu primeiro vinho da colheita de 2020