relações pessoais
Foto Shutterstock
in

Portugueses passam mais tempo conectados do que a dormir

Segundo o “Digital Consumer Survey Portugal 2021 – Powered by Nielsen & Dynata”, os portugueses passam 43% da semana ligados à Internet, o que significa que passam mais tempo conectados do que a dormir, constituindo uma média de 72 horas por semana de conexão à Internet. Deste tempo, dedicam uma média de 13 horas semanais às redes sociais, sendo 23% do tempo total passado a ver conteúdo de influenciadores, sobretudo no Instagram.

A maioria dos portugueses utiliza a Internet diariamente e este hábito revela uma certa preferência por dispositivos diferentes para estabelecer essa ligação. Assim, 95% liga-se à Internet a partir do smartphone, 75% faz através do seu computador.

As tendências de consumo despoletadas pela pandemia levaram a um novo olhar sobre as plataformas que devem ser utilizadas pelos ‘players’ do mercado, colocando o modelo digital como uma oportunidade de crescimento e investimento em 2021”, afirma Maira Barcellos, diretora da Nielsen para Espanha e Portugal. Para a responsável, o novo cenário de consumo “permite que as marcas tenham um impacto mais direto sobre seus potenciais consumidores nos temas que despertam o seu interesse”.

 

O que fazemos nos nossos dispositivos?

Estamos sempre atentos aos nossos dispositivos e, embora por vezes o tipo de uso que lhes damos coincida, damos preferência a um ou a outro, dependendo da atividade que realizamos. Assim, 79% dos portugueses opta pelo smartphone para fazer videochamadas e 77% para verificar as suas redes sociais.

Quando se trata de computadores, 77% utiliza-os preferencialmente para verificar e-mails e 71% para procurar informação, apesar do computador ser também bastante utilizado para trabalhar, para fazer compras e ler notícias. 44% dos portugueses utiliza a Smart TV, principalmente, para ver filmes e, relativamente aos alta-voz inteligentes, sendo um dispositivo complementar, a sua utilização é menor e apenas 16% os utiliza para procura de informações.

Embora existam muitas e variadas atividades que fazemos nos nossos dispositivos, passamos, em média, 15 horas por semana a ver vídeos em plataformas de streaming, em comparação com as 13 horas semanais dedicadas às redes sociais e às 14 horas por semana a ver televisão, o que significa que as plataformas estão em vantagem em termos de utilização maioritária da Internet. Para além destas atividades, que ocupam a maior parte da nossa semana, passamos tempo a realizar outro tipo de atividades online, tais como enviar mensagens, fazer chamadas de vídeo e compras online.

 

Efeito duplo ecrã

Na sequência da pandemia e do confinamento, vimo-nos obrigados a ficar em casa durante vários meses e aumentámos o número de horas que passamos a realizar as nossas principais atividades, simultaneamente.

O “Digital Consumer Survey Portugal 2021 – Powered by Nielsen & Dynata” revela dados acerca da forma como utilizamos os nossos dispositivos e salienta que 93% dos portugueses vê televisão e utiliza a Internet em simultâneo, num segundo ecrã (no telemóvel ou tablet). O número daqueles que praticam o uso do ecrã duplo diariamente é 47%.

Assim, 80% utiliza osSmartphone como segundo ecrã, onde 70% o faz, nessa altura, para verificar as redes sociais, 49% para enviar mensagens e conversar online e 60% para ler e-mails. É precisamente esta situação que explica o facto de 82% das pessoas afirmar ser um utilizador ativo das redes sociais atualmente. Quanto ao poder que as diferentes redes sociais têm para transmitir as mensagens e o conteúdo dos influenciadores, 29% encontra-as no Instagram e 17% no Facebook.

De todas as plataformas, o Facebook é o que se destaca acima de todos as outros no país, com uma média de 4,2 horas de utilização, sendo que, no caso das mulheres entre 30 e 39 anos, a média sobe para 4,6 horas por semana e, no caso dos homens acima de 50 anos de idade, o uso médio de utilização sobe para 5,1 horas por semana. A segunda rede social mais utilizada em Portugal é o Instagram, com uma média global de utilização de 3,3 horas por semana, estando o terceiro lugar ocupado pelo Tik Tok, na qual a utilização média é de 2,3 horas por semana, sendo esta última utilizada pelos mais jovens, uma vez que se trata de uma rede social que ganhou recentemente popularidade.

 

Papel dos influenciadores

Das 13 horas, em média, passadas nas redes sociais, três delas são na companhia de influenciadores, o que significa que 23% do tempo é dedicado a conhecer as suas opiniões. 30% das pessoas procura recomendações úteis e está, principalmente, interessado em descobrir diretamente as opiniões destas figuras acerca de benefícios e vantagens dos produtos, marcas, atividades e outros aspetos do dia-a-dia. 57% revela que as opiniões dos influenciadores têm algum tipo de impacto nas suas perceções das marcas e produtos. Quanto ao poder que as diferentes redes sociais têm para transmitir as mensagens dos influenciadores, 29% encontra-as no Instagram e 20% no Facebook.

Lidl

Lidl ajudou a exportar 18,2 mil toneladas de frutas e legumes

Iced Coffee

Nespresso Iced Coffee regressa com novo sabor tropical a côco