in

Diogo Lopes e Anselmo Mendes reeditam a viagem do Alvarinho

Duas regiões, dois enólogos, uma casta. Depois da primeira edição, colheita 2015, está de volta o vinho que funde duas expressões distintas – Monção e Lisboa – da casta Alvarinho. O AdegaMãe 221 já está no mercado.

Vinho assinado pelos enólogos Diogo Lopes e Anselmo Mendes, num exercício que reedita a viagem desta variedade por terroirs distintos, o AdegaMãe 221 integra um blend com 50% de Alvarinho da AdegaMãe (Torres Vedras, na região de Vinhos de Lisboa) e 50% de Alvarinho de Anselmo Mendes (Monção, na região dos Vinhos Verdes). “Com este vinho prosseguimos o nosso tributo ao Alvarinho”, explica o enólogo Diogo Lopes. “A ideia nasceu em conversa com Anselmo Mendes, numa das muitas jornadas que partilhamos. Por que não fundir o perfil mais austero de Monção, com a salinidade tão particular de Lisboa? O resultado foi um vinho inédito, que se impôs entre os nossos topo de gama. Um vinho que prestigia a gama de brancos da AdegaMãe e os brancos de Alvarinho, esta variedade que tanto tem dado – e tem para dar – ao nosso país”, termina.

Após a fermentação em madeira e selecionadas as melhores barricas, os dois lotes, ambos da colheita de 2017, foram integrados na AdegaMãe, iniciando um estágio de três anos em garrafa. “O que apresentamos, mais uma vez, são duas expressões distintas de Alvarinho, que resultam numa interpretação muito genuína da casta rainha dos brancos em Portugal. O estágio de três anos em garrafa acrescenta-lhe ainda mais originalidade e complexidade”, prossegue Anselmo Mendes.

 

Terroirs distintos

Em Torres Vedras, as vinhas são fortemente expostas às nortadas que chegam do mar, os picos de calor são menos frequentes e os solos são argilo-calcários. Em Monção, no vale do Minho, a influência atlântica é mais moderada, devido ao abrigo das montanhas do lado de Espanha e de Portugal, as amplitudes térmicas são maiores e os terrenos marcados pelo granito.

A sul nasce um Alvarinho mais exuberante e salino, a norte um Alvarinho marcado pela sua austeridade.

Publicidade

Alpro é contra as restrições adicionais aos produtos de origem vegetal proposta na Alteração 171

Hansaplast

Hansaplast anuncia maior relançamento mundial em 99 anos