in

Alibaba cresce abaixo das expectativas

Foto Shutterstock

Tal como a sua concorrente Amazon, o Alibaba cresceu abaixo do que os analistas esperavam. No primeiro trimestre do seu exercício fiscal, as vendas aumentaram 33,8%, para os 205.740 milhões de yuans (26.817 milhões de euros), mas ficou aquém dos 209.390 milhões de yuans estimados pelos analistas.

Daniel Zhang, presidente e diretor geral do Grupo Alibaba, considera, contudo, de que foi outro bom trimestre. “No trimestre de junho, os consumidores ativos em todo o ecossistema Alibaba atingiram os 1.180 milhões, o que representa um aumento de 45 milhões relativamente a março, incluindo 912 milhões de consumidores na China. Ao longo de mais de 20 anos, desenvolvemos uma marca que abarca tanto a Internet de consumo como a industrial, com múltiplos motores que impulsionam o nosso crescimento a longo prazo”.

 

Retalho internacional vale 54%

As receitas do negócio comercial cresceram 35,2%, para os 180.241 milhões de yuans (23.494 milhões de euros), enquanto o negócio Cloud cresceu 29%, para os 16.051 milhões de yuans (2.092 milhões de euros), e o digital 15,4%, para os 8.073 milhões de yuans (1.052 milhões de euros). Concretamente, o negócio de retalho internacional foi responsável por 54% das vendas do grupo no primeiro trimestre.

Já os lucros caíram 5,1%, para os 45.141 milhões de yuans (5.820 milhões de euros), ao contrário do que sucedeu com a Amazon, que mais que os duplicou.

Publicidade

l'animo

L’ Animo é uma nova marca de cápsulas de café compatíveis com máquinas Nespresso

Consumidores

4 perfis de consumo para o pós-Covid