in ,

Glovo registou um aumento de 375% nos pedidos de parafarmácia

A Glovo registou um aumento de 375% nos pedidos de parafarmácia, entre os dias 30 de março e 5 de abril, em Portugal.

O aumento  tem sido exponencial desde que o estado de emergência foi decretado pelo Governo português. No início de março, o crescimento médio de pedidos foi de 60%, mas depois do anúncio feito pelo Governo o crescimento atingiu os167%, chegando a 300%, na semana de 23 de março e a 375% na última semana.

O cenário é semelhante ao ocorrido noutros países onde a Glovo opera, principalmente em Espanha, onde o aumento de pedidos de parafarmácia foi de 223%, de 9 a 15 de março; de 430%, de 16 a 22 de março, e de 733%, de 23 a 29 de março. Em Itália, os aumentos foram de 138%, no início de março, e 215%, de 16 a 22 de março.

Entre os produtos mais solicitados em Portugal estão as compressas esterilizadas, colírios, testes de gravidez, luvas de látex, termómetros, produtos para dores no pescoço e produtos de higiene íntima. Alguns destes produtos também estão no top de pedidos noutros países como Espanha ou Itália.

No mercado italiano, as autoridades governamentais permitira que as plataformas digitais, como a Glovo, entreguem medicamentos não sujeitos a receita médica. Nesse sentido, a empresa observou que quatro em cinco dos produtos mais vendidos, naquele mercado, nas últimas semanas foram medicamentos não sujeitos a receita médica, principalmente paracetamol, descongestionantes, aspirina, analgésicos e antipiréticos.

A empresa também está a permitir aos utilizadores em Portugal obterem medicamentos não sujeitos a receita médica  na categoria de parafarmácia, como forma de ajudar a população a ultrapassar a situação atual. “A Glovo está disponível, através dos seus recursos, em apoiar a entrega de produtos essenciais, como os da categoria de parafarmácia, em todo o país, através de nossos parceiros, onde também estão os restaurantes, supermercados, lojas de comércio local e solicitações personalizadas através da categoria ‘qualquer coisa’, através da qual é possível ao utilizador pedir tudo o que possa precisar, desde que efetuado numa zona geográfica coberta pela aplicação e que caiba na mochila Glovo ”, afirma Ricardo Batista, Country Manager da Glovo em Portugal.

Publicidade

computadores

Vendas mundiais de computadores ressentem-se com a Covid-19

Super Bock lança plataforma para ajudar bares e restaurantes