preços
in

Vendas a retalho na Europa diminuem 0,4% em março

Em março, o volume do comércio a retalho diminuiu 0,4% na zona euro e 0,2% na União Europeia como um todo, em comparação com fevereiro, de acordo com estimativas do Eurostat, o gabinete de estatística da União Europeia. Em fevereiro, o volume do comércio a retalho tinha aumentou 0,4% na zona euro e 0,3% na União Europeia.

Especificamente, na zona euro, em março, o volume do comércio a retalho diminuiu 2,9% para os combustíveis automóveis e 1,2% para os produtos não alimentares, enquanto aumentou 0,8% para os alimentos, bebidas e tabaco.

Na União Europeia, o volume do comércio a retalho diminuiu 3% para os combustíveis automóveis e 0,7% para os produtos não alimentares e aumentou 0,6% para os alimentos, bebidas e tabaco.

Entre os Estados-membros dos quais existem dados disponíveis, as maiores diminuições mensais foram registadas em Espanha (-4%), Luxemburgo (-3,3%) e França (-1,9%). Os maiores aumentos foram observados na Eslovénia (+11,4%), Letónia (+11,1%) e Hungria (+7,3%).

 

Crescimento face a 2021

Em Portugal, o volume das vendas a retalho subiu, em março,  2,5% face a fevereiro e 11,9% na variação homóloga.

Em comparação com o mesmo mês de 2021, o volume do comércio a retalho, ajustado da sazonalidade, aumentou 0,8% na zona euro e 1,7% na União Europeia.

Numa base anual, o volume do comércio a retalho na zona euro aumentou 8,3% para os combustíveis automóveis e 2,8% para os produtos não alimentares, enquanto diminuiu 2,5% para os alimentos, bebidas e tabaco.

Na União Europeia, o volume do comércio a retalho aumentou 8,9% para os combustíveis automóveis e 4% para os produtos não alimentarese caiu 2,1% para os alimentos, bebidas e tabaco.

Entre os Estados-membros dos quais existem dados disponíveis, os maiores aumentos anuais no volume total do comércio a retalho foram registados na Eslovénia (+25,6%), Estónia (+18,4%) e Malta (+16,4%). As maiores diminuições foram observadas na Dinamarca (-11%), Espanha (-4,8%) e Bélgica (-3,9%).

Zalando

Vendas da Zalando em queda

Skincare

Pandemia muda o mercado da beleza