in

Universidade de Évora e Jerónimo Martins Agro-Alimentar assinam protocolo de colaboração

A Universidade de Évora e a Jerónimo Martins Agro-Alimentar (JMA) assinaram um protocolo de cooperação para o desenvolvimento de atividades de investigação e apoio ao ensino.

Com este acordo, será desenvolvido um conjunto de atividades de carácter teórico-prático, técnico-científico e de investigação nas áreas de negócio da JMA e das suas três empresas subsidiárias, que atuam nas áreas da agropecuária, da aquacultura e dos lacticínios.

A Best Farmer, subsidiária da JMA dedicada à agropecuária, irá receber estagiários provenientes da Universidade de Évora e disponibilizar a utilização da vacaria, bem como o apoio de um tutor para acompanhar os alunos das licenciaturas em Medicina Veterinária e Engenharia Zootécnica. Serão desenvolvidos ensaios e projetos de investigação em áreas como o bem-estar animal, a nutrição animal, a melhoria genética, a sanidade animal, a melhoria de indicadores ambientais, a qualidade do leite e eficiência no uso da água e da energia, a produção agrícola, o uso e a melhoria dos solos ou a recuperação do montado.

A Terra Alegre, fábrica de lacticínios do Grupo Jerónimo Martins em Portalegre, vai desenvolver atividades de investigação e desenvolvimento de novos produtos lácteos em conjunto com a Universidade de Évora, recebendo também alunos de Engenharia Mecatrónica para estagiar na área da automação industrial.

A Universidade de Évora vai ainda disponibilizar à Seaculture, que se dedica à aquacultura, a utilização de espaços, equipamentos e materiais do Laboratório de Ciências do Mar (CIEMAR), instalado em Sines, para apoiar a realização de análises patológicas de peixes, colaborando também no desenvolvimento de atividades de investigação relacionadas com aquacultura. Estas atividades incluem o melhoramento da sustentabilidade de recursos endógenos, incidindo na investigação da ecologia trófica, comportamento e conservação, para reforçar o conhecimento e a capacidade de gerir ambientes naturais e artificiais de forma sustentável.

Por seu lado, a Seaculture vai proporcionar estágios a alunos das áreas da Biologia e disponibilizar a utilização da zona autorizada de produção aquícola de que dispõe no Porto de Sines para o desenvolvimento de ensaios e projetos de investigação na área da aquacultura, qualidade da água e melhoria de indicadores ambientais.

Publicidade

Publicidade

Sonae investe mais de 100 milhões de euros em inovação no retalho

Laboratórios Babé celebram 25 anos