in

Um em três consumidores britânicos compra produtos falsificados

Um em três consumidores britânicos comprou produtos de luxo falsificados – embora nem sempre por escolha própria. Os consumidores britânicos gastam 3,2 mil milhões de libras (3,5 mil milhões de euros) em roupas e acessórios de luxo falsificados. Normalmente pretendem comprar os produtos reais, mas são oferecidos artigos falsos em mercados online, sites de leilão ou plataformas de segunda mão.

Os artigos falsos são tão difundidos que são comprados por um em cada três britânicos (22 milhões), relata o FashionUnited a partir de uma análise das casas de penhores britânicas H&T. Os produtos falsificados de designer estão em alta, especialmente no crescente mercado online de produtos em segunda mão. Roupas e joias são os grupos de produtos mais atingidos.

Compra deliberada

O relatório afirma que, embora muitas pessoas que compram produtos falsificados sejam simplesmente enganadas, há também uma demanda (deliberada) crescente. A cada mês, o Google processa 14.000 procuras britânicas por relógios Rolex falsos – tornando-o o terceiro item falsificado mais popular no Reino Unido. Balenciaga está em segundo lugar com 15.300 pesquisas por mês, atrás do “líder de mercado”: os ténis Yeezy da Adidas (15.400).

O aumento nas pesquisas por produtos falsificados é uma limitação importante nas vendas de luxo online. Mercados ou plataformas como Amazon ou eBay parecem incapazes de assumir controlo da questão, mesmo quando os artigos falsos prejudicam a sua imagem e o relacionamento que mantêm com as marcas.

Em julho passado, a Amazon lançou uma divisão especial para produtos falsificados – possivelmente com o objetivo de impulsionar o lançamento da sua própria plataforma de luxo em setembro.

Publicidade

Unilever

Unilever investe mil milhões de euros para eliminar combustíveis fósseis

The Premiere

Samsung lança projetor a laser 4K de curta-distância