in

Sonae aumenta volume de negócios em 4,7% e supera os 5 mil milhões de euros

A Sonae apresentou um volume de negócios consolidado superior a cinco mil milhões de euros, nos primeiros nove meses de 2021, com um valor recorde de 5.014 milhões de euros, que traduz um crescimento de 4,7%, em termos homólogos, sustentado, principalmente, pelos contributos positivos da Sonae MC e da Worten.

Os negócios não consolidados também atingiram elevados níveis de crescimento, em particular a ISRG com valores já significativamente acima dos registados em 2019. As vendas consolidadas online cresceram 29% face a 2020, ano que já tinha sido muito positivo para este canal.

Em termos de rentabilidade, o EBITDA subjacente aumentou 5,6%, em termos homólogos, para 415 milhões de euros (169 milhões de euros no terceiro trimestre), com destaque para os contributos positivos da Sonae MC, da Worten e da Sonae Fashion. Já o EBITDA cresceu 23,1%, em termos homólogos, e atingiu 531 milhões de euros  (239 milhões de euros no terceiro trimestre), beneficiando adicionalmente das mais-valias significativas no período provenientes da gestão do portfólio e da melhoria do desempenho das empresas consolidadas pelo método de equivalência patrimonial.

Esta performance também beneficiou o resultado direto, que atingiu 169 milhões de euros (40 milhões de euros homólogo de 2020), tendo no terceiro trimestre aumentado mais de 56 milhões de euros para 115 milhões de euros. O resultado indireto situou-se em 24 milhões de euros (nove milhões de euros no terceiro trimestre), suportado pela evolução do valor do portfólio da Sonae IM.

Face ao crescimento das vendas e da rentabilidade operacional, bem como à gestão ativa do portefólio, o resultado líquido da Sonae (atribuível a acionistas) superou, mais uma ve,z os valores de 2020 e 2019, atingindo 158 milhões de euros de janeiro a setembro e 96 milhões de euros no trimestre.

 

Sonae MC

A Sonae MC atingiu um volume de negócios de 3.883 milhões de euros nos nove meses, registando um aumento de 5,3% em termos homólogos e de 2,3% numa base comparável. Durante o terceiro trimestre, um período marcado por uma recuperação económica gradual e normalização do consumo, a Sonae MC continuou a apresentar um forte desempenho ao nível das vendas.

Em termos de rentabilidade, a empresa foi capaz de manter uma margem EBITDA subjacente relativamente estável no trimestre, apesar de alguma pressão nos preços (como custos de energia), suportada pelos ganhos de produtividade e pela melhoria dos processos dos seus negócios “core”. Globalmente, o EBITDA subjacente nos nove meses melhorou 6,1%, em termos homólogos, para 384 milhões de euros, com uma margem de 9,9%.

Em termos de investimento, a Sonae MC continuou o seu plano de aberturas, com mais sete lojas Continente Bom Dia de um total de 36 novas lojas próprias (representando mais 13 mil metros quadrados de área de venda), modernizou 14 unidades de retalho alimentar e investiu no reforço da sua capacidade logística e estrutura tecnológica. No final dos nove meses, o investimento (capex) total foi de 132 milhões de euros.

 

Worten

Apesar do contexto de pandemia durante os primeiros nove meses de 2021, o volume de negócios total da Worten aumentou 3,6%, em termos homólogos (“like for like” de 11,8%), atingindo 803 milhões de euros. Este desempenho positivo das vendas e a nova estratégia em Espanha contribuíram para uma melhoria do EBITDA subjacente, que atingiu 51 milhões de euros, no final dos primeiros nove meses, com uma margem de 6,4%, crescendo 1,2 pontos percentuais face ao homólogo de 2020.

Durante o terceiro trimestre, com a ligeira melhoria das condições económicas e o aliviar das restrições relacionadas com a Covid-19 (ainda com limitações no número de visitantes), a Worten cresceu 7,2% numa base comparável.

 

Sonae Fashion

Entre janeiro e setembro, e apesar de todas as restrições à operação das lojas (maior período com as lojas encerradas e restrições mais fortes, quando comparadas com o homólogo de 2020), o volume de negócios total da Sonae Fashion atingiu os 230 milhões de euros, representando uma ligeira redução de 0,6% em termos homólogos. Apesar disso, a Sonae Fashion conseguiu apresentar um crescimento da rentabilidade, atingindo um EBITDA subjacente de 10 milhões de euros, seis vezes superior a 2020.

O terceiro trimestre foi marcado por um desempenho de vendas que foi melhorando, uma vez que as restrições relacionadas com a Covid-19, que ainda estavam a limitar a capacidade nas lojas e nos centros comerciais, foram sendo gradualmente levantadas. Nessas condições , o volume de negócios total da Sonae Fashion atingiu 95 milhões de euros. Relativamente ao canal online, a Sonae Fashion continuou a apresentar taxas de crescimento significativas de dois dígitos face a 2019, apesar de alguma desaceleração quando comparado com o ano passado, em parte devido à forte recuperação das lojas físicas. Adicionalmente, os negócios B2B (wholesale e franchising) mantiveram a recente tendência de crescimento homólogo.

portugueses

Jovens confirmam tendência crescente do digital

imobiliário

Escritórios lideram no mercado imobiliário europeu, diz análise da Savills