in

Queda de 30 mil milhões de euros nos gastos de Natal nos principais mercados da Europa

Foto Shutterstock

Espera-se que os europeus cortem significativamente os seus gastos na temporada de Natal deste ano, devido à pandemia de Covid-19, que afetou os seus rendimentos, levou ao encerramento de lojas e força a reuniões sociais restritas.

De acordo com dados apresentados pela Finaria.it, as medidas de confinamento deverão contribuir para uma queda de quase 30 mil milhões de euros nos gastos de Natal no Reino Unido, na Alemanha e em França, os três principais mercados da Europa.

 

Reino Unido

As estatísticas mostram que o Reino Unido está no topo da lista de gastos de Natal na Europa. Entre 2016 e 2018, os britânicos despenderam cerca de 85 mil milhões de euros por ano, de acordo com os dados da Statista e da VoucherCodes. Em 2019, este número saltou para 91,5 mil milhões de euros.

No entanto, as novas medidas de confinamento desencadearam uma queda acentuada nas vendas no retalho, caindo para 80,9 mil milhões de euros, menos 12,1 mil milhões de euros do que o inicialmente previsto.

As estatísticas também mostram que o valor das vendas a retalho nas lojas físicas, feitas durante a temporada, deverá cair em 2020, enquanto as vendas online deverão atingir novos recordes. De acordo com a pesquisa, nesta época de vendas, que cobre as seis semanas que vão de meados de novembro ao final de dezembro, os britânicos deverão gastar cerca de 42 mil milhões de euros nas lojas físicas, uma queda de 37% num ano. Ao mesmo tempo, as vendas online deverão atingir 38,7 mil milhões de euros, 58% mais que no ano anterior.

Espera-se que os britânicos gastem mais em presentes de eletrónica de consumo, este ano, cerca de 57,5 euros, em comparação com os 52 euros em 2019. No entanto, as estatísticas mostram que os gastos per capita com roupas e calçado terão a queda mais significativa, caindo de 59,3 euros, em 2019, para 31,5 euros, em 2020.

 

Alemanha

Como o segundo maior mercado em termos de gastos natalícios, a Alemanha deverá testemunhar uma queda de 4,6 mil milhões de euros, devido às medidas de confinamento. Os dados mostram que os alemães deverão gastar cerca de 76 mil milhões de euros, na temporada de Natal de 2020, abaixo das estimativas anteriores de 80,6 mil milhões de euros.

O Deloitte Christmas Survey 2020 também mostrou que estão a planear gastar cerca de 168 euros em presentes de Natal , este ano, abaixo dos 217 euros de 2019. No entanto, o seu orçamento para a alimentação n ascende a 117 euros, num ligeiro aumento em relação ao ano passado.

 

França

Entre os três principais mercados, será a França que deverá testemunhar a queda mais significativa nos gastos de Natal este ano.

Antes das novas medidas de bloqueio, os franceses planeavam despender cerca de 70,8 mil milhões de euros para as compras de Natal. Este valor desceu 13,2 mil milhões de euros, depois de as medidas serem reintroduzidas.

 

Itália

Os dados da Statista e da VoucherCodes mostram que os italianos deverão gastar 36,5 mil milhões de euros nas compras de Natal, seis mil milhões de euros a menos em comparação com as estimativas anteriores ao novo confinamento. A pesquisa da Confcommercio-Imprese per l’Italia também revela que 84,5% dos entrevistados passarão um Natal modesto, este ano, quase 16% mais do que há um ano.

Os consumidores italianos vão diminuir os seus hábitos de compras de Natal. Apenas 74% dos entrevistados comprarão presentes, face aos 87% de 2019, com quase nove em cada 10 pessoas a esperar um Natal muito sombrio.

Como o quinto mercado europeu nesta lista, a Espanha deverá testemunhar uma queda de três mil milhões de euros nos gastos de Natal este ano.

Holanda e Bélgica seguem-se com uma descida  de 2,7 mil milhões de euros e 2,2 mil milhões de euros, respetivamente.

Publicidade

Wish

Wish aposta na cotação bolsista para concorrer com a Amazon

Ásia

Dissociação das economias afeta o desenvolvimento do comércio na Ásia