in

Portal da Queixa aposta na internacionalização com nova marca global

Consumers Trust passa a ser uma nova rede global de plataformas de consumidores que já deu os primeiros passos em Espanha, com o Libro de Quejas e agora prepara-se para replicar o modelo no mercado sul africano com o Complaints Book.

O crescimento e a consolidação do Portal da Queixa como um dos principais influenciadores nacionais em matéria de consumo permitiram alcançar um novo posicionamento, ao internacionalizar a sua plataforma para outros mercados. Em 2020, está prevista a entrada em Itália, no Reino Unido, na Alemanha, França e Polónia, para mais tarde alargar a rede para fora da Europa. “A aposta na internacionalização deste projeto único em Portugal e pioneiro na Europa sempre foi o nosso grande objetivo, desde o momento em que decidi avançar com o desenvolvimento da plataforma do Portal da Queixa, em 2009, após um episódio mal resolvido de um Bollycao estragado que adquiri para o meu filho, num supermercado. Hoje, somos uma equipa orgulhosa por sentirmos que fomos potenciadores de uma nova forma de relacionamento entre marcas e consumidores, alterando o paradigma de consumo e a visão de grande parte dos gestores de marketing e de Customer Service. Depois de muita experiência adquirida no caso de sucesso do Portal da Queixa em Portugal, avançámos muito recentemente para Espanha, onde colocámos online a versão ‘beta’ da plataforma Libro de Quejas. Este passo histórico permitiu-nos ser a primeira rede social de consumidores do mundo a ser internacional e a levar a criatividade nacional para outros países na Europa”, refere Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa e fundador do Consumers Trust.

O Consumers Trust pretende agregar as classificações de várias marcas em cada mercado em que opera, obtidas por meio de avaliação do tratamento das reclamações e funcionando, deste modo, como um ranking global do índice de confiança das marcas. “O Consumers Trust representa uma total inovação mundial, por ser a primeira rede global de consumidores, onde a diferenciação está no facto de a relação entre marcas e consumidores assentar na experiência de consumo relatada através de uma reclamação, onde é atribuída a oportunidade de resolução e melhoria contínua, e não apenas por uma opinião normalmente conhecida como ‘review’, destaca Pedro Lourenço. “Esta alteração comportamental dos consumidores é acompanhada pela evolução tecnológica, que possibilita cada vez mais a pesquisa e partilha de experiências que servem como um guia de consumo mais consciente, atribuindo um enorme potencial de influência a plataformas como o Consumers Trust”, acrescenta o responsável.

Com o claim In trust we believe, e disponível online em https://consumerstrust.co/, o Consumers Trust apresentou-se na Web Summit como startup BETA, no Pavilhão 1, (Booth B107). O objetivo da participação no maior evento de empreendedorismo e tecnologia do mundo foi promover este projeto global, através do networking com os visitantes, empreendedores e empresas, bem como, captar o interesse de novos investidores internacionais para consolidar o crescimento da operação global.

Enquanto empreendedor, Pedro Lourenço é da opinião que “o maior erro de uma startup é esperar pelo momento certo. Porque não se pode adivinhar o futuro, mas tem que se ter a ousadia de construí-lo. Por conseguinte, estaremos na edição da Web Summit 2019, mostrando que é possível criar novos conceitos globais e inovar em matéria de ‘customer experience’. Assim, mesmo não ansiando sermos um unicórnio, a nossa visão é termos a possibilidade de potenciar, pelo mundo fora, a melhoria na relação dos consumidores com as marcas, através da transparência e da reputação positiva. Estou certo que a reputação positiva adquirida através do ‘customer success’, será nos próximos anos, o principal foco das estratégias das marcas. Por isso, estamos a desenvolver ferramentas baseadas em inteligência artificial, que permitirão ajudar as marcas numa tomada de decisão mais assertiva e eficaz, através da análise de dados (Big Data) que recolhemos diariamente, junto das experiências relatadas pelos consumidores.”

De salientar que todas as plataformas da nova da rede global Consumers Trust marcam a sua diferenciação pela fiabilidade da informação publicada, ao registarem os índices de satisfação, rankings, avaliações e estatísticas em blockchain, uma tecnologia que torna imutável e de consulta pública qualquer registo.

37% das empresas globais não estão preparadas para os dispositivos móveis

Coca-Cola European Partners investe em startups