in

Pernod Ricard regista subida das vendas face à forte procura na China, EUA e Índia

Foto Shutterstock

Pernod Ricard antecipa um significativo crescimento das vendas durante o ano fiscal de 2022, no seguimento da forte procura na China, Estados Unidos e Índia, que contribuiu para que, no seu primeiro trimestre, tenham aumentado 20%.

O segundo maior grupo de bebidas espirituosas a nível mundial indica que o consumo no lar se manteve resiliente, enquanto a reabertura dos bares e restaurantes sustentou a subida das vendas. Contudo, o retalho de viagens ressentiu-se, ainda, da crise pandémica. “Estamos confiantes, mas precisamos de passar pelo Natal e pelo Ano Novo Chinês”, disse à Reuters o chairman e presidente executivo da empresa, Alexandre Ricard, quando questionado se sentia confortável com as expectativas dos analistas de um crescimento de vendas de 9,7% para a totalidade do exercício.

 

1.º trimestre

No primeiro trimestre, a Pernod Ricard beneficiou de uma base de comparação baixa com o ano anterior, que se tornará progressivamente menos favorável. Nos três meses terminados a 30 de setembro, a multinacional, registou vendas de 2,72 mil milhões de euros, mais 20%.

O forte início do ano refletiu-se num salto de 9% nos Estados Unidos, o maior mercado da Pernod Ricard, com uma boa reposição antes da época festiva e a recuperação da procura do whiskey irlandês Jameson, à medida que os bares e restaurantes foram reabrindo, após as restrições associadas à Covid-19 terem sido atenuadas.

Na China, as vendas aumentaram 22%, impulsionadas pela procura durante o festival de outono e as subidas dos preços do conhaque de Martell. A China contribui com cerca de 9% das vendas da Pernod Ricard e é o seu segundo maior mercado.

Publicidade

Venn

“Não estamos no jogo para competir com outros kits de refeição”

preços mundiais

Preços dos alimentos atingem novo máximo de 10 anos