O consumismo vingativo vai explodir

Webinar Lantern

Numa altura em que os confinamentos se sucedem, a economia afunda e os problemas mentais se agravam, repete-se a pergunta: quanto tempo será preciso até que a comércio torne a florescer e a socialização volte a ser descomplexada?

Um estudo da Lantern e EIT estima que sejam precisos mais dois anos para que o medo e a incerteza deem lugar à confiança e ao “consumismo vingativo” que, referem as entidades, será um novo comportamento que servirá como principal catalisador no processo de recuperação da economia.

Com a colaboração de múltiplos especialistas na área da saúde, alimentação e economia, o estudo “Food Foresight: Impact of COVID 19 on the Food Sector in Southern Europe” descreve as três fases que, combinadas ou alternadas, irão estabelecer o caminho de regresso à normalidade: economia pandémica crónica (2020-2021), mentalidade resiliente (2021-2022) e Carpe Diem (2022-2023).

De acordo com a Lantern e o EIT, o vírus só estará totalmente erradicado entre finais de 2022 e inícios de 2023. Neste cenário, os autores do estudo anteveem um sucesso total e comprovado da vacina, que permitirá à economia voltar a funcionar. A incerteza e o medo darão lugar a uma mentalidade mais otimista e confiante à população, que vai procurar recuperar o tempo perdido através de altos níveis de consumo. “O consumismo vingativo vai explodir”, diz o estudo, o que se traduzirá em altos níveis de procura e múltiplas oportunidades para as empresas recuperarem os seus negócios, ajudando a economia novamente a florescer.

 

Conclusões

Para apresentar esta e outras conclusões do estudo, a Lantern vai realizar o webinar “Depois da pandemia: cenários futuros para o sector agroalimentar”, que irá decorrer no próximo dia 23 de fevereiro, a partir das 10 horas, via Zoom.

O webinar conta com a participação de David Lacasa, partner da Lantern, Lia Oliveira diretora de marketing da Nobre Alimentação, Campofrio Food Group, Gonçalo Amorim, CEO da Building Global Innovators, representante do EIT Food, com a moderação de Bruno Farias, diretor da Grande Consumo.

Partindo das principais conclusões do estudo, estarão em debate os efeitos da Covid-19 na indústria agroalimentar (a três anos), bem como uma análise das principais tendências que daí poderão advir, nomeadamente, a forma como a pandemia poderá dar origem a novos hábitos de consumo, ou, inclusive sobre o que irá mudar no relacionamento entre as marcas e o consumidor.

O registo para assistir ao webinar pode ser feito aqui.

 

Especialidades Bom Petisco

Bom Petisco aposta nas especialidades

consumo

Os retalhistas preferidos dos portugueses