in

Novas empresas continuam a aumentar e insolvências mantêm descida

Foto Shutterstock

Em outubro, as insolvências diminuíram 11,4% face a período homólogo de 2018. Vila Real, Castelo Branco e Guarda foram os distritos com descidas mais acentuadas.

O mês terminou com 630 ações, menos 81 que no ano passado. No total do ano, a diminuição é de 12,74%, com 4.252 ações de insolvência contra as 4.873 nos primeiros dez meses de 2018.

As insolvências requeridas tiveram uma redução de 27,7% face a 2018, enquanto as insolvências apresentadas pelas próprias empresas baixaram 23,1%, com um total de 938 empresas a requerer a insolvência. Os encerramentos com plano de insolvência baixaram de 61, em 2018, para 45 (-26,2%). As declarações de insolvência correspondentes à conclusão de processos tiveram um aumento de 0,9%.

Lisboa e Porto são os distritos com mais insolvências, 867 e 1.037, respetivamente. Face a 2018, verifica-se uma diminuição de 34,6% em Lisboa e de 7,7% no Porto.
As diminuições mais acentuadas registaram-se em Vila Real (-44,3%), Castelo Branco (-37,7%), Guarda (-36,1%), Évora (-28,3%), Setúbal (-25,4%), Horta (-25%), Viana do Castelo (-19%), Portalegre (-18,2%) e Bragança (-11,4%).

A Madeira teve um decréscimo de 4,4%, com 109 insolvências face às 114 em 2018, enquanto nos Açores a descida mais acentuada foi registada na Horta. Ponta Delgada teve variação nula face a 2018 (33 insolvências), enquanto em Angra do Heroísmo a diminuição foi de 6,3%.

Cinco distritos apresentaram subidas nas insolvências: Aveiro (2,7%), Beja (11,5%), Braga (22%), Coimbra (9,3%), Faro (7,6%) e Leiria (3%).

Os sectores com aumentos nas insolvências são Agricultura, Caça e Pesca (7,2%) e Indústria Transformadora (9,3%). As descidas mais acentuadas verificaram-se na Indústria Extrativa (-47,4%), Eletricidade, Gás, Água (-42,1%), Comércio por Grosso (-23,5%), Outros Serviços (-21,5%), Comércio de Veículos (-17,1%), Comércio a Retalho (-16,8%), Construção e Obras Públicas (-16,5%), Hotelaria e Restauração (-14,5%) e Transportes (-4,3%).

 

Constituições aumentam 2,5% em outubro

As constituições, por seu turno, aumentaram 2,5% em outubro, para um total de 3.950 novas empresas. No acumulado deste ano, foram criadas mais 4.021 empresas que em 2018, para um total de 42.026 constituições (aumento de 10,6% face ao ano passado).

Lisboa é o distrito que acolhe mais constituições (14.080), com um aumento 6,7% face a 2018. O Porto surge na segunda posição, com 7.665 novos projetos empresariais (+11,8%) e o terceiro posto pertence ao distrito de Setúbal com 3.209 empresas e um crescimento homólogo de 12,7%.
Todos os distritos apresentam subidas, com destaque para Braga com 3.039 empresas (aumento de 10,7%), Faro com 2.376 novas empresas (aumento de 13,3%), Aveiro com 1.996 (+15,1%), Leiria com 1.528 (+11%), Coimbra com 1.198 (+21,3%) e Santarém com 1.114 novas constituições e um crescimento de 12,8%.

A Madeira registou um crescimento de 2,1% face a 2018, para um total de 923 constituições.  Angra do Heroísmo cresceu de 106, em 2018, para 130, em 2019 (+22,6%); Ponta Delgada evoluiu de 243 para 285 (+17,3%) e na Horta o aumento foi de 40,9% (de 44, em 2018, para 62, em 2019).

Os sectores com maiores variações positivas são Transportes (125,9%), Eletricidade, Gás, Água (72,4%), Indústria Extrativa (43,5%), Construção e Obras Públicas (30,5%), Telecomunicações (15,6%), Agricultura, Caça e Pesca (14,6%), Comércio a Retalho (8,6%) e Comércio de Veículos (5%).

Apenas dois sectores apresentaram variação negativa: Comércio por Grosso (-0,1%) e Hotelaria/Restauração (-0,8%).

Publicidade

Publicidade

“As marcas são uma âncora que confere segurança e confiança ao consumidor”

7-Eleven permite compras por voz