in

IQOS começa a ser vendido nos EUA

A Tabaqueira, subsidiária da Philip Morris International (PMI), anunciou que foi agora colocado à venda nos Estados Unidos da América o produto tabaco aquecido eletronicamente, IQOS, cuja comercialização iniciou em Portugal há já três anos.

A PMI está a introduzir o seu produto de tabaco aquecido eletronicamente no mercado norte-americano através de um contrato de licenciamento exclusivo com a Altria Group, subsidiária da Philip Morris USA, detentora da experiência de mercado e das infraestruturas necessárias para garantir o êxito do lançamento.

O início da comercialização do produto tabaco aquecido eletronicamente da PMI nos Estados Unidos é um marco histórico em termos de novas opções para os cerca de 40 milhões de fumadores norte-americanos, uma vez que é o primeiro cuja venda foi autorizada pela Agência para a Alimentação e o Medicamento (Food and Drug Administration – FDA) norte-americana.

Em abril, a FDA confirmou que a comercialização do referido produto, que aquece o tabaco sem o submeter a combustão, na medida em que produz “menos ou menores níveis de alguns constituintes tóxicos que os cigarros combustíveis”, é por isso “apropriada para a proteção da saúde pública” em comparação com a continuação do consumo de cigarros.

A decisão surgiu no seguimento de uma avaliação científica do pedido de autorização de introdução do produto de tabaco aquecido eletronicamente no mercado, submetido pela PMI à FDA em 2017. “O início da comercialização do tabaco aquecido eletronicamente da PMI nos EUA é mais uma prova do nosso empenhamento em encorajar os fumadores adultos a substituírem os cigarros por alternativas sem combustão e fumo, desenvolvidas por via da inovação e da investigação científica. O facto de, até à data, não ter sido autorizada pela FDA a venda de qualquer outro produto de tabaco aquecido eletronicamente nos Estados Unidos da América reflete o caráter pioneiro do produto da PMI”, afirma Miguel Matos, diretor geral da Tabaqueira.

Os fumadores adultos merecem não só ter acesso tanto a alternativas inovadoras aos cigarros sem combustão e fumo como a informação fidedigna sobre a natureza desses produtos. Uma combinação de legislações ponderadas, baseadas em avaliações científicas rigorosas, uma maior consciencialização e uma comercialização regulamentada podem desempenhar um papel crucial para ajudar os fumadores adultos que, de outra forma, continuariam a fumar a optar por melhores alternativas para eles do que os cigarros”, acrescenta.

O tabaco aquecido eletronicamente está disponível em Portugal desde 2016. Desde então, entre 5% a 10% dos fumadores adultos portugueses optaram por substituir os cigarros pelo tabaco aquecido eletronicamente. “Esperamos que os fumadores adultos nos Estados Unidos da América iniciem em breve um percurso semelhante e comecem também a deixar os cigarros e a optar por esta alternativa melhor para eles”, diz ainda o diretor geral da Tabaqueira.

Além do pedido de autorização de comercialização, a PMI submeteu igualmente à FDA um conjunto de provas científicas com o intuito de poder alegar que o seu produto de tabaco aquecido eletronicamente apresenta um risco reduzido, uma solicitação cuja avaliação está ainda a decorrer. Os Estados Unidos, a seguir à China, são o segundo maior mercado mundial de produtos de tabaco.

Publicidade

Grupo Deutsche Post DHL investe 2 mil milhões de euros em transformação digital

378 colaboradores do Grupo Jerónimo Martins concluem 9.º e 12.º anos de escolaridade