Insolvências
in

Insolvências no primeiro trimestre registam aumento de 3,7% face a 2021

As insolvências aumentaram 3,7%, no primeiro trimestre, face ao período homólogo do ano passado, com 1.324 empresas insolventes. Este é o valor acumulado mais elevado no primeiro trimestre dos últimos três anos. Março foi o mês com mais insolvências, 468, o que traduz um incremento de 9,1% face a 2021.

Contudo, este aumento das insolvências traduz, fundamentalmente, um aumento no número de processos concluídos já que as declarações de insolvência requeridas por terceiros diminuíram 17,6%, no primeiro trimestre, face a 2021 (menos 46 pedidos), enquanto às apresentações à insolvência pelas próprias empresas tiveram uma redução de 3,1% (menos oito pedidos). Os encerramentos com plano de insolvência também baixaram 12,5%, face a 2021. De janeiro a março, foi declarada a insolvência de 850 empresas, mais 102 que em igual período de 2021.

Os distritos de Lisboa e do Porto mantêm as suas posições de liderança, com 347 e 335 insolvências, respetivamente. Braga surge na terceira posição em valores absolutos, com 126 insolvências. Face a 2021, verifica-se um aumento de 15,3% em Lisboa (mais 46 insolvências), uma diminuição de 3,7% no Porto (redução de 12 insolvências) e uma redução de 13,7% no distrito de Braga (menos 20 insolvências).

Com decréscimos evidenciam-se, ainda, os distritos de Angra do Heroísmo (-100%), Faro (-38,6%), Bragança (-33,3%), Guarda (-30%), Portalegre (-27,3%), Aveiro (-22,4%), Viana do Castelo (-15,8%) e Castelo Branco (-4%). Os aumentos nas insolvências verificam-se nos distritos de Évora (+66,7%), Leiria (+42,9%), Santarém (+34,3%), Setúbal (+27,9%), Viseu (+19,2%), Vila Real (+15,4%), Madeira (+7,1%) e, por último, Coimbra (+4,8%). Em 2021, Horta não teve insolvências registadas no primeiro trimestre e, este ano, soma um total de três. Os distritos de Beja (sete insolvências) e Ponta Delgada (11 insolvências) não tiveram variação face a 2021.

Por sector, apresentam aumento nas insolvências as atividades de Comércio de Veículos (+42,4%), Outros Serviços (+12%), Agricultura, Caça e Pesca (+10%), Indústria Transformadora (+8,4%) e Comércio a Retalho (+4,3%). Com decréscimo destacam-se os sectores de Telecomunicações (-66,7%), Indústria Extrativa (-50%), Construção e Obras Públicas (-4%), Comércio por Grosso (-3,2%), Hotelaria e Restauração (-6,3%) e, por último, Transportes (-1,9%).

 

Constituições crescem mais de 29%

Em março, as constituições evoluíram de 3.844 empresas, em 2021, para 4.272, em 2022, mais 428 novas empresas em termos homólogos (+11,1%). Em totais acumulados, verifica-se um acréscimo significativo de 29,2%, com um global de 13.417 novas empresas constituídas.

O número mais significativo de constituições verifica-se em Lisboa, com 4.403 empresas (+52,3%), e no Porto, com 2.225 empresas (+10,4%). Na terceira posição surge o distrito de Setúbal, com 1.020 constituições (+40,9% face a 2021).

Outros distritos com acréscimos nas constituições são Faro (+54%), Vila Real (+52,3%), Coimbra (+38,7%), Madeira (+26,7%), Santarém (+22%), Angra do Heroísmo (+21,6%), Viana do Castelo (+21,1%), Aveiro (+16,6%), Braga (+16,1%), Évora (+15,7%), Ponta Delgada (+15,6%), Beja (+13,3%), Portalegre (+13,1%), Guarda (+10,9%), Castelo Branco (+10,2%);,Viseu (+9,6%) e, por último, Leiria (+9,5%) .

Os distritos com variação negativa são apenas Horta, que decresce de 32 para 23 constituições (-28,1%), e Bragança, que baixa de 142 para 121 (-14,8%).

No primeiro trimestre deste ano, os sectores que apresentam variação positiva na criação de novas empresas são Transportes (+102,7%), Hotelaria e Restauração (+63,2%), Outros Serviços (+37%), Telecomunicações (+24,1%), Construção e Obras Públicas (+23,5%), Indústria Transformação (+11,8%), Agricultura, Caça e Pesca (+10,1%), Comércio por Grosso (+9,8%), Comércio de Veículos (+9,6%) e Eletricidade, Gás, Água (+4,7%). Indústria Extrativa (-50%) e Comércio a Retalho (-9,9%) são os únicos sectores com variação negativa nos primeiros três meses do ano.

Benefício

Gin português de flor de cânhamo ganha três medalhas de prata no London Spirits Competition

consumo

Comércio a retalho na Europa cresce 0,3% em fevereiro