Inovar substituindo a obesidade pelo saudável e económico

Não é de hoje que a alimentação passou a ser um dos conceitos de referência quando se fala em saúde e, em paralelo, os hábitos de consumo diários tornaram-se alvos constantes de análise. Portugal está atualmente consciente sobre o papel da nutrição para uma vida saudável, um marco alcançado graças ao trabalho desenvolvido nos últimos anos, seja por instituições, pelas marcas do sector alimentar ou pela informação cada vez maior e mais aprofundada sobre o tema.

No entanto, olhamos para os números do Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, realizado entre 2015 e 2016 sob a coordenação da Universidade do Porto, que nos dizem que “mais de metade da população portuguesa é obesa, ou está em risco de o ser,…” e ficamos inquietos. Afinal o que falta?

É urgente ser um agente ativo e um decisor para parar o assombro da obesidade. É preciso aproximar os portugueses aos locais de produção alimentar, mostrar-lhes o que se faz na indústria e dar-lhes toda a informação sobre o que devem comer e a forma como o devem fazer. Entre as propostas para uma alimentação saudável está sempre inerente o consumo de carnes brancas, em que estão incluídas as carnes de aves, nomeadamente frango e peru. A área que nos toca a nós, Lusiaves.

Não é em vão que as carnes de aves se apresentam como uma solução mais saudável, e também mais económica, em comparação a outras, sobretudo quando se fala em teores de gordura e calorias. Os benefícios deste tipo de alimento dependem de cada ave, mas todas são, efetivamente, ricas em proteínas.

Enquanto líderes do sector avícola, temos uma preocupação constante com esta temática e sentimos que é urgente emergirem rapidamente dinâmicas que incluam estes assuntos na ordem do dia dos portugueses, impactando, em particular, a população que tem um padrão alimentar baseado em fast-food e produtos hipercalóricos.

Em Portugal, há ainda muito para fazer, dar a devida importância ao consumo de produtos frescos, reforçar a partilha de informação nutricional, apresentar as vantagens de optar por carnes brancas, são algumas das mensagens que têm de ser fortalecidas junto da população. Este é o caminho que se deve percorrer para se conseguir combater o monstro da obesidade e parar definitivamente estes números que tanto nos preocupam.

Por Paulo Gaspar, administrador e CIO do Grupo Lusiaves

Este artigo foi publicado na edição n.º 50 da Grande Consumo.

Publicidade

Mimosa, Gresso e Compal são as marcas mais escolhidas em Portugal

Luís Simões investe em centro logístico em Cabanillas del Campo