in

Guerra comercial paralisa comércio mundial

Foto Shutterstock

No primeiro trimestre, as exportações dos Estados Unidos da América para a China caíram 30% em relação ao ano passado e as exportações da China para os Estados Unidos baixaram 9%. Uma grave escalada no sentido de uma guerra comercial global interromperia o crescimento do comércio mundial, em 2019, e provocaria uma contração de 2,3% em 2020.

A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China terá custos económicos significativos em 2019: 0,2% do PIB no caso dos Estados Unidos e 0,5% no da China. O recente relatório da Crédito y Caución mostra a deterioração do comércio bilateral entre os dois países. “A conclusão de que a China é menos afetada pela guerra comercial pode ser enganosa“, adverte o relatório. No caso de sectores como metais, plástico e maquinaria, afetados por tarifas, as vendas caíram entre 20% e 40%, enquanto as restantes exportações chinesas para os Estados Unidos aumentaram 12%.

A seguradora analisa os efeitos de dois cenários possíveis. O primeiro, a evolução moderada do conflito, inclui tarifas de 25% para todo o comércio bilateral entre os Estados Unidos e a China e tarifas de 25%, com exceção do Canadá e do México, para automóveis e componentes. Segundo o relatório, o impacto deste cenário representaria uma décima no crescimento do PIB mundial em 2019 e uma desaceleração do comércio mundial até 1,3%.

Uma progressão do conflito no sentido de uma guerra comercial global “seria desastrosa para o crescimento do comércio internacional em 2019 e 2020“. Além das tarifas de 25% para o comércio bilateral entre os Estados Unidos da América e a China, este cenário contempla tarifas de 25% para a indústria automóvel sem exceções e tarifas de 10% para os restantes sectores com a União Europeia e o Japão. Este cenário causaria, segundo o relatório Crédito y Caución, uma forte desaceleração do PIB mundial de quatro décimas em 2019, para 2,3%, e ainda mais grave em 2020, para 1,4%. No pior dos cenários, o comércio mundial pararia em 2019 e sofreria uma contração de 2,3% em 2020.

Publicidade

Publicidade

Amazon quer fazer entregas em 30 minutos

Sunquick apresenta rebranding em campanha digital