in

“Em 2018 continuamos a crescer na preferência das famílias portuguesas e lançamos as bases para a internacionalização da marca”

2018 será recheado de novos projetos para a Well’s. A insígnia do grupo Sonae arrancou o exercício com uma relevante campanha de apoio à natalidade, onde vai investir 1,3 milhões de euros para celebrar os novos nascimentos e colocar o tema na agenda de discussão. Trata-se também de uma nova linha de comunicação para a marca, que tem na área da mamã e bebé uma das mais importantes em termos de negócio. No outro extremo, e atenta às tendências de evolução sociodemográfica, estão os seniores, um grupo demográfico que vai receber muita atenção por parte da Well’s, através do lançamento de uma gama específica adequada às suas necessidades e do desenvolvimento de novos projetos a anunciar em breve. Isto num ano onde a tónica vai também estar assente na expansão da pegada da marca, que chega já a 1,7 milhões de clientes por ano, mas que quer servir muitos mais. Em Portugal e também fora de portas, já que este conceito reúne todas as condições para ser um sucesso internacional. Assim acredita João Cília, diretor geral da Well’s, que não tem dúvidas que, dentro de 10 anos, a insígnia da Sonae será um, de facto, “player” internacional.

A Well’s arrancou em 2018 com uma campanha de apoio à natalidade, através da oferta de kits para bebés para apoiar os novos nascimentos. A grave crise demográfica que Portugal enfrenta motivou esta ação, na qual a insígnia do universo Sonae vai investir 1,3 milhões de euros. Segundo os últimos censos, os portugueses não conseguem renovar gerações desde a década de 90. São menos filhos por mulher e cada vez mais tarde, o que resulta numa das taxas de natalidade mais baixas da Europa, apenas acima da Itália.

É este cenário que a Well’s quer inverter ao promover o debate sobre a natalidade em Portugal, gerando uma mudança sociocultural de uma forma positiva e mobilizadora. “Queremos dar o exemplo de como todos temos um papel nesta missão”, introduz João Cília, diretor geral da Well’s. “Tendo atualmente 1,7 milhões de clientes por ano, na sua grande maioria mulheres entre os 25 e os 50 anos, e tendo uma presença nacional baseada nas nossas 236 lojas, acreditamos que estamos bem posicionados para ajudar a colocar este tema na agenda mediática e para promove-lo junto da população”.

O objetivo da Well’s é apoiar as famílias que decidem seguir pela natalidade e promover o debate sobre as causas do seu decréscimo e o impacto social no curto e longo prazo. “E, naturalmente, definir, em conjunto com os nossos parceiros, medidas concretas para aumentar a natalidade em Portugal, assegurando um futuro mais sustentável às gerações futuras”.

Desde o dia 1 de janeiro que todos os nascimentos vão ser celebrados com a oferta de conjunto de produtos Baby Well’s para os bebés e ainda um presente especial para a mães. Por outro lado, a insígnia vai apoiar o primeiro ano de vida de bebés de famílias carenciadas, numa parceria com o Banco de Bens Doados (EntreAjuda), através da oferta de produtos para o bebé (higiene, alimentação e puericultura), produtos para a mãe (cuidados pessoais) e acompanhamento da mãe e do bebé com ações de orientação temáticas. “Temos por objetivo que a oferta cubra todas as necessidades do bebé durante o seu primeiro ano de vida, desonerando, assim, a família de quaisquer gastos ao nível da higiene, alimentação (leite e papas) e puericultura”, detalha João Cília.

Com vários parceiros neste projeto, sejam institucionais como o Ministério da Saúde e o Ministério da Segurança Social, sejam outras empresas deste sector, a Well’s vai ainda debater o tema e levar a cabo ações de sensibilização e informação ao longo do ano, dentro e fora das lojas Well’s, que visam a promoção da natalidade. “Promover o debate para a natalidade é essencial para perpetuar um movimento a favor deste tema, juntando uma rede de parceiros com conhecimento e visão para debater problemas e soluções para assegurar a sustentabilidade das nossas futuras gerações e, consequentemente, do nosso sistema social e económico”, acredita o diretor geral da insígnia.

Esta campanha configura uma nova linha de comunicação para a Well’s, a par de uma manifestação da sua responsabilidade social e corporativa. “A natalidade é claramente o desígnio da Well’s ao nível da responsabilidade social e, por outro lado, sendo a área de bebé e mamã fundamental para o nosso negócio, esta ação é também uma linha de comunicação relevante para a sustentabilidade do nosso negócio”, confirma João Cília. “Nos últimos anos temos vindo a trabalhar com a Make-a-Wish na angariação de fundos para esta instituição através da venda de etiquetas para presentes no período de Natal. Dada a dimensão da Well’s e relevância que tem para mais de 1,7 milhões de famílias portuguesas, em 2018, decidimos alargar a nossa componente de responsabilidade social. Sendo a natalidade um tema chave para a sustentabilidade da sociedade portuguesa e com uma afinidade tão grande com o negócio da Well’s, decidimos agarrá-lo como tema central para a marca”.

Expansão
São já 236 lojas em território nacional, com a Well’s a ter em marcha um projeto de expansão para reforçar a sua rede de lojas em todo o país. O objetivo para 2018, confirma o gestor, é manter o ritmo de expansão dos últimos três anos, “permitindo que cada vez mais pessoas possam beneficiar da nossa oferta de produtos e serviços, sempre aos melhores preços e com o apoio dos nossos profissionais de saúde qualificados”.

Neste processo está contemplada a internacionalização do conceito da Well’s. “Estamos a analisar os diferentes mercados em detalhe, de forma a entender onde o conceito da Well’s poderá ter maior sucesso. Acreditamos que temos um conceito de negócio vencedor e que, com as devidas adaptações, poderá ser um sucesso a nível internacional. Assim, num prazo de 10 anos, vejo a Well’s como um ‘player’ internacional, reforçando a sua posição de liderança no mercado nacional e como uma das marcas nacionais mais relevantes para os portugueses”.

Outra das vertentes da expansão poderá ser o franchising. Em outubro de 2014, abriu a primeira loja neste regime, que tem crescido par a par com a expansão orgânica da Well’s. “Temos já 19 lojas de franchising em Portugal. Neste momento, não temos feito um esforço elevado de angariação de novos franchisados. Contudo, aproveitamos as oportunidades que nos surgem ao nível de novas localizações, dando sempre prioridade aos nossos parceiros atuais”, confirma.

Paralelamente, ainda este ano, serão lançados novos negócios na Well’s. As novidades deverão ser apresentadas nos próximos meses e, de acordo com o diretor geral, trarão uma abordagem inovadora ao mercado, com vantagens significativas para os clientes. “A Well’s tem como missão a democratização aos cuidados de saúde e bem-estar a toda a população. É sobre este princípio que nos guiamos em tudo o que fazemos, seja no retalho de saúde, ótica ou nos nossos serviços de estética e nutrição. Acreditamos que essa mensagem tem sido bem recebida pelos portugueses, o que se reflete no crescimento que a Well’s tem registado nos últimos anos. Obviamente, esta missão tem por base a disrupção em algumas áreas do mercado de saúde e bem-estar. Seja através de preços mais baixos ou na inovação ao nível da proposta de valor que damos aos nossos clientes. Esta inovação é visível nos novos negócios que lançamos, como é exemplo o Plano de Saúde Well’s, as ações de comunicação que fazemos, onde a da natalidade é um exemplo, no nosso atendimento especializado e nas nossas promoções diferenciadoras”. Recorde-se que foram já registadas 120 mil utilizações do Plano de Saúde Well’s na rede de prestadores da AdvanceCare, o que equivale a uma poupança gerada para os clientes de três milhões de euros.

Futuro
Existem algumas tendências a nível socioeconómico que irão tornar a área de saúde e bem-estar cada vez mais relevante para a população. O envelhecimento da população tem já impactos claros nas necessidades dos clientes, tanto ao nível dos serviços de saúde como também no retalho de saúde e bem-estar. “Na Well’s, estamos muito atentos ao fenómeno do envelhecimento da população e dos impactos que este traz para o retalho, seja ao nível da oferta de produtos, da adaptação das nossas lojas para este segmento da população e também ao nível da formação das nossas equipas, para que estejam mais preparadas para as especificidades do atendimento a este segmento de clientes”, defende João Cília.

Recentemente, e neste âmbito, a Well’s lançou uma nova área de negócio que visa dar resposta a esta problemática, a Ortopedia Pesada. Trata-se de uma das maiores apostas para 2018, com uma gama de mais de três mil produtos com um desconto permanente de 15%. “Ainda em 2018, planeamos lançar outro negócio muito relevante para este segmento da população, do qual daremos notícias ainda no primeiro semestre deste ano”, revela.

A crescente preocupação da população pela adoção de um estilo de vida saudável, tanto ao nível do corpo como da mente, é outra das tendências com impacto neste negócio. Esta tendência tem um impacto positivo na procura por produtos e serviços de saúde, bem-estar e alimentação saudável, o que leva a equipa da Well’s a acreditar numa especialização cada vez maior em cada um destes negócios e no desenvolvimento de um ecossistema que permita aos consumidores ter uma oferta abrangente e que cubra todas as suas necessidades.

São, assim, vários os projetos que a Well’s vai querer levar a cabo neste ano, onde espera replicar o sucesso dos exercícios anteriores. “Podemos dizer que todos os anos têm sido bons anos para Well’s. Temos conseguido cumprir os nossos objetivos de negócio, ao mesmo tempo que continuamos a crescer a nossa equipa, apostando cada vez mais na formação e especialização da mesma. Hoje, somos provavelmente o maior empregador de farmacêuticos em Portugal, como mais de 60 licenciados em farmácia e um dos maiores empregadores de optometristas, com mais de 80 optometristas nas nossas lojas. Em 2018, queremos continuar a manter este ritmo de crescimento. Acredito que tal apenas seja possível se mantivermos a nossa preocupação de ser cada vez mais relevantes para as famílias portuguesas, garantindo que temos a melhor proposta de valor do mercado e continuando a trabalhar no lançamento de novos negócios que sejam relevantes para os clientes da Well’s. Assim, um bom 2018 será um ano em que continuamos a crescer na preferência das famílias portuguesas, aumentando o número de clientes e lançando com sucesso os dois novos negócios que estamos a preparar, e o ano em que lançamos as bases para a internacionalização da marca”, resume João Cília.

Este artigo foi publicado na edição n.º 49 da Grande Consumo.

Publicidade

Vai ser possível trocar plástico por senhas de supermercado

Um terço dos portugueses já fez compras na Internet