in

DPDgroup com ano de crescimento recorde

Anuncia estratégia a 5 anos

Durante a pandemia de Covid-19, o DPDgroup tornou-se um aliado na entrega de bens vitais para clientes e empresas, resultando num aumento de 42% das receitas, em 2020, em comparação com 2019.

Até 2025, o DPDgroup pretende expandir as suas atividades “core“, acelerar iniciativas e conquistar novos horizontes, por meio do plano denominado “Juntos e mais além” (“Together & beyond”).

No ano transato, o DPDgroup quebrou todos os recordes, obtendo 11 mil milhões de euros em receita. 35% da receita do Le Groupe La Poste teve origem no DPDgroup.

No total, o grupo entregou, em todo o mundo, 1,9 mil milhões de encomendas, o equivalente a 7,5 milhões por dia (um aumento de 500 milhões de encomendas face a 2019). O pico recorde, de 13,9 milhões de encomendas tratadas em todo o mundo, aconteceu na Cyber Monday, assinalada a 30 de novembro de. Mais de metade (55%) das encomendas entregues em todo o mundo foi B2C.

Em Portugal, a receita foi de 78,9 milhões de euros, correspondendo a um total de 21,5 milhões de encomendas, um crescimento de 13,6% face a 2019. O crescimento anual da actividade B2C foi superior a 57%, muito acima das perspetivas iniciais.

 

Lições a reter

A Covid-19 levou a um aumento inesperado no sector das encomendas. Confinamentos e medidas preventivas levaram a um aumento nas entregas, que, no caso do DPDgroup, foi de mais 500 milhões quando comparado com 2019.

A crise sanitária também fez com que tendências de consumo esperadas para 2024 se antecipassem, como uma maior procura por logística urbana e um maior sentido de responsabilidade ambiental.

Com o aumento da experiência em logística urbana, a Stuart, plataforma tecnológica para entregas urbanas no próprio dia e “on-demand“, efetuou 19,7 milhões de entregas, em 2020, em França, Polónia, Espanha e Reino Unido, mais 75% que em 2019.

O mercado também registou uma mudança significativa para o B2C. No DPDgroup, 55% dos volumes são agora 2C.

Além disso, categorias específicas, como a entrega de produtos do sector alimentar e da saúde, tiveram uma procura sem precedentes. Em França, por exemplo, a Chronofresh, especializada em produtos alimentares, mais que duplicou a sua atividade, crescendo 115%.

Em relação à saúde, as filiais do DPDgroup estão muito ativas. Por exemplo, milhares de doses de vacinas já foram entregues em França pela Chronopost, em Espanha pela Tipsa e na África do Sul pela Biocair. “No DPDgroup, demonstramos a resiliência, flexibilidade e agilidade esperadas de uma organização da nossa dimensão. Essas qualidades ajudaram-nos a manter o mundo em movimento durante a pandemia, criando e adotando rapidamente novas práticas e lidando com o aumento de volumes com eficiência. Esses pontos fortes serão chave para aproveitar as novas oportunidades que estão por vir”, afirma Boris Winkelmann, CEO e presidente do DPDgroup.

Junto com as tendências, os volumes também testemunharam uma aceleração. Os volumes do DPDgroup cresceram 24% e a receita 23% em termos orgânicos.

 

“Juntos e mais além”

O DPDgroup tem como objetivo para 2030 tornar-se a referência internacional em entrega sustentável e um dos principais capacitadores da aceleração do comércio eletrónico. Em termos de receita, pretende duplicar e atingir 21 mil milhões de euros ,até 2025.

O DPDgroup é um dos principais operadores B2B na Europa, bem como a rede rodoviária europeia líder, com uma quota de cerca de 25% dos volumes. O objetivo é reforçar a posição como líder em ambos os segmentos de negócio e alavancar a sua experiência para ajudar os clientes a gerir a migração do B2B para B2C, tornando-se um “one-stop-shop” europeu para B2B e B2C, especialmente no segmento das pequenas e médias empresas.

Além disso, o grupo irá desenvolver uma abordagem selectiva do mercado das entregas adaptada a cada país e impulsionará as soluções de entregas fora de casa (OOH ou Out-Of-Home), densificando a sua rede Pickup de parcel shops e lockers e aumentando a presença no crescente segmento C2C. Para realizar esta ambição, o DPDgroup pretende duplicar a sua rede para atingir 90% de cobertura na Europa (percentagem da população europeia com acesso a um ponto Pickup em menos de 10 minutos), oferecendo 100 mil pontos Pickup, incluindo 70 mil parcel shops e 30 mil cacifos.

Embora o DPDgroup já tenha uma grande participação na logística urbana, quer acelerar o desenvolvimento para ser reconhecido como um líder no sector com uma oferta forte que conta com cinco serviços: same day, entregas domiciliárias a partir de um hub urbano, entregas noturnas com intervalos de tempo, expedições a partir das lojas urbanas, “pontos de proximidade” de mercearias como uma infraestrutura para serviços urbanos e recursos de micro-logística para permitir entregas numa hora ou duas em áreas urbanas.

Paralelamenre, como os mercados internacionais de entrega de encomendas fora da Europa crescerão mais rápido, na próxima década, do que os mercados europeus, o DPDgroup pretende potenciar a presença intercontinental existente, enquanto reforça a posição no sudeste asiático, Médio Oriente, África e América do Sul.

O DPDgroup evoluirá de uma rede multidoméstica para uma rede internacional interconectada que visa oferecer soluções para o mercado intercontinental de e-commerce. Além de transporte e entrega, tais serviços também incluirão soluções de plataforma de e-commerce para acompanhar e permitir que os clientes participem da aceleração deste segmento.

Capitalizando nas sinergias internacionais, o DPDgroup pretende aumentar a participação dos negócios intercontinentais em até 20% da sua receita total até 2025.

Cada um destes objetivos será seguido em conjunto com compromissos ambientais, como reduzir em 30% as suas emissões de CO2 por encomenda até 2025 (face a 2013). O DPDgroup acredita que também tem um papel a desempenhar para tornar as cidades mais respiráveis, já que 30% da poluição é gerada pela logística urbana. Assim, em outubro de 2020, lançou um plano para efetuar entregas com baixa emissão em CO2 em 225 cidades europeias e para 80 milhões de europeus até 2025. A ambição visa reduzir as emissões de carbono em 89% e os poluentes em 80% nas cidades em questão.

2020 teve um impacto profundo e duradouro no sector de comércio eletrónico e logística. Estou orgulhoso da resiliência e do sucesso da minha equipa e acredito que estamos melhor posicionados do que nunca para nos tornarmos a referência internacional em entrega sustentável e um facilitador líder de e-commerce. Existem inúmeras oportunidades a serem aproveitadas. Podemos contar com a nossa excelência operacional e espírito de inovação. Portanto, não há limite para o que podemos alcançar em 2025, juntos e mais além”, conclui Boris Winkelmann.

Publicidade

Mercadona e Iberdrola_1

Mercadona e Iberdrola unem-se pela mobilidade elétrica em Portugal

Canal do Suez

Retalho foi um dos sectores mais afetados pelo bloqueio do canal do Suez