in ,

Retalho foi um dos sectores mais afetados pelo bloqueio do canal do Suez

Foto Shuterstock

O retalho foi um dos sectores mais afetados pelo bloqueio do canal do Suez, durante quase uma semana, pelo facto do cargueiro Ever Given ter ficado encalhado.

A Europa foi particularmente afetada, sendo o Reino Unido, a Alemanha, a Bélgica, a França, a Holanda, a Itália, a Suíça, a Espanha, a Turquia e a Áustria as economias com maiores repercussões nas suas cadeias de abastecimento, segundo um estudo da Dun & Bradstreet.

A consultora revela que serão precisos vários das até que o tráfego marítimo da zona recupere a normalidade, após quase 400 embarcações terem ficado paradas à espera de poder atravessar o canal do Suez, estratégico para o comércio mundial.

 

Sectores mais afetados

O estudo indica que os maiores impactos na Europa foram sentidos nos sectores da restauração, construção, comércio grossista, produtos químicos e relacionados, serviços de saúde, retalho alimentar, maquinaria industrial e comercial, produção de metais e reparação automóvel.

De um modo geral, empresas de todos os sectores tiveram de rever os seus inventários. A IKEA foi um dos operadores que confirmou ter contentores retidos na zona.

Recentemente, a publicação especializada Lloyd’s List estimou que o bloqueio do canal do Suez possa ter custado ao comércio 400 milhões de dólares em mercadorias por cada hora de atraso.

Publicidade

DPDGroup

DPDgroup com ano de crescimento recorde

Mcommerce

66% das visitas aos principais sites de e-commerce procede de dispositivos móveis