in

DPD Portugal assina Pacto de Mobilidade Empresarial para a cidade de Lisboa

O World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), a Câmara Municipal de Lisboa, o BCSD Portugal e um conjunto de empresas e instituições assinaram o Pacto de Mobilidade Empresarial (CMP) com a cidade de Lisboa.

Ao abrigo desta iniciativa do WBCSD, do BCSD Portugal, da Câmara Municipal de Lisboa e de 56 empresas e instituições, estas assumem o compromisso de tornar a mobilidade mais sustentável em Lisboa.

Olivier Establet, presidente da DPD Portugal, refere que “o nosso empenho é total nas medidas que a Câmara Municipal de Lisboa tem vindo a tomar no sentido de descarbonizar a cidade. Prova disso é termos sido, hoje mesmo, uma das empresas co-signatárias do Pacto de Mobilidade Empresarial para a cidade de Lisboa. Temos já vários veículos elétricos de distribuição a circular na cidade, entre eles algumas cargo-bikes, e estamos empenhados em tornar a nossa frota que circula na cidade de Lisboa integralmente zero emissões em 2021”.

Esta iniciativa é uma resposta ao desafio do presidente Fernando Medina, para quem “a descarbonização se apresenta como o maior desafio da nossa geração. Necessitamos de reduzir as nossas emissões e tornar todos os tipos de transporte mais sustentáveis. Todos os dias contam e todas as ações são importantes”.

O CMP irá catalisar a liderança empresarial e visa acelerar a transformação da mobilidade urbana para soluções sustentáveis. As entidades signatárias vão adotar um conjunto de medidas que contribuirão para que a cidade de Lisboa tenha um sistema de mobilidade mais seguro, acessível, ecológico e eficiente, conforme os princípios fundamentais da colaboração, do compromisso, da transparência e da segurança.

O pacto tem como objetivo contribuir para uma mobilidade mais sustentável, em Lisboa, através da promoção de uma oferta e de uma procura de soluções multimodais, em primeiro lugar através da criação de condições para adoção de novos comportamentos e de novas soluções pelos colaboradores e, ainda, através do alargamento destas medidas a fornecedores e clientes.

Segundo Miguel Gaspar, vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, “a cidade irá fornecer as condições necessárias para garantir que os compromissos serão mensurados e que o diálogo continue”.

Taxas sobre as vendas podem levar ao aumento dos preços ao consumidor

Portugueses irão percorrer 891kms e gastar 791 euros em média para regressar a casa no Natal