in ,

DHL Express prevê nova vaga de crescimento do e-commerce

Foto Shutterstock

A DHL Express acaba de lançar um novo whitepaper “The Ultimate B2B E-commerce Guide: Tradition is out. Digital is in”. O estudo prevê um forte crescimento para o mercado de e-commerce B2B durante os próximos anos: até 2025, 80% de todas as vendas B2B entre fornecedores e consumidores empresariais ocorrerão por via digital.

O impacto da pandemia de Covid-19 no ritmo da digitalização e no comportamento de compra dos Millennials tem sido o principal motor deste crescimento global do e-commerce.

O que está previsto para o futuro do sector B2B já foi observado através da forte subida do e-commerce B2C nos últimos anos, onde a DHL Express registou elevadas taxas de crescimento, particularmente durante as principais épocas festivas  Páscoa e Natal, por exemplo) e outros dias especiais (Black Friday e Cyber Monday, por exemplo). No total, as receitas de e-commerce B2C na DHL Express aumentaram em cerca de 40% face a 2019.

Esta evolução positiva do negócio reflete-se também nos resultados financeiros da empresa no ano fiscal de 2020. Com uma receita total de 19,1 mil milhões de euros (mais 11,9% face ao ano anterior) e um EBIT de 2,7 mil milhões de euros (+34,9%), a divisão Express do Grupo Deutsche Post DHL fechou 2020 com o melhor resultado em mais de 50 anos de história.

Mesmo em períodos de paralisação global, a globalização tem mostrado a sua resiliência, alimentada pela digitalização e pelo poder do comércio global”, diz John Pearson, CEO da DHL Express. “Estas tendências têm resultado num número cada vez maior de consumidores a realizar as suas compras de forma online. A pandemia acelerou este desenvolvimento como nunca, com um aumento acentuado das empresas a venderem os seus produtos no mercado digital. Assim, o e-commerce e a logística global forneceram a chave para desbloquear as paralisações locais, manter as economias em funcionamento e mitigar o impacto da Covid-19 para muitos dos nossos clientes”.

 

Covid-19

Não foi apenas o e-commerce B2C que foi crescendo devido ao processo de digitalização e que mudou os hábitos de compra dos consumidores. Em 2019, antes da pandemia, as vendas globais no e-commerce B2B já tinham crescido até 18,2%, atingido os 10,4 biliões de euros, ultrapassando a dimensão de mercado do sector B2C. Através da Covid-19 e da consequente aceleração da digitalização, estima-se que este volume global de e-commerce atinja os 17,8 biliões de euros até 2027.

Enfrentamos a pandemia há mais de um ano”, afirma Michiel Greeven, Executive Vice President Global Sales na DHL Express. “Um ano que representou toda uma década de evolução digital em apenas poucos meses, com as compras online e o transporte internacional a serem o novo normal. Este cenário aconteceu não só para os retalhistas B2C, mas também em termos de e-commerce B2B, à medida que as empresas começaram a reconhecer que as plataformas de venda online são cruciais para o seu sucesso empresarial, hoje e no futuro. Por conseguinte, também haverá uma necessidade acrescida de envios Express internacionais e a DHL Express está bem posicionada para apoiar todas as empresas B2B na sua caminhada”.

 

E-commerce B2B

O whitepaper, desenvolvido pela DHL Express, revela fatores que impulsionam o crescimento do mercado global do e-commerce B2B: para além de tendências gerais como a globalização e a digitalização, uma nova geração de Millennials orientada para a tecnologia começa a deixar a sua marca.

Neste momento, os Millennials representam 73% de todas as compras profissionais B2B. Enquanto nativos digitais, as suas experiências no sector B2C traduzem-se em elevadas expectativas ao fazer transações B2B, pressionando as empresas a investir em soluções digitais, como plataformas de venda, ao mesmo tempo que oferecem um grande potencial de crescimento.

Se as empresas B2B querem aproveitar ao máximo as novas oportunidades transfronteiriças e de e-commerce, têm de começar a adaptar-se aos novos hábitos de compra. Especialmente com a próxima geração de Millennials enquanto futura decisora do sector B2B, que está a impulsionar ainda mais a digitalização do sector. As experiências dos clientes B2B têm de estar alinhadas com as experiências digitais do B2C. Enquanto especialistas internacionais de e-commerce, temos o conhecimento necessário para apoiar as empresas na sua adaptação às mudanças em curso e a extraírem todo o seu potencial”, diz Leendert van Delft, Vice President Global Sales Programs and Global e-commerce.

 

DHL Express

Em 2020, a DHL Express entregou 484 milhões de encomendas aos seus clientes (B2C e B2B) pelo mundo, cerca de 9% a mais por dia face a 2019. Para se adaptar a este aumento significativo da sua rede, a DHL Express continua a investir anualmente mais de mil milhões de euros em novas instalações de última geração em todo o mundo para multiplicar a sua capacidade de triagem (mais 65% desde 2013), contrata novos colaboradores (mais 10 mil face ao período homólogo) e acrescenta novos aviões de carga à sua frota (mais 20 unidades face a 2019).

Neste contexto, a DHL Express anunciou recentemente a compra de mais oito Boeing B777 e uma parceria com a Smartlynx Malta para acrescentar dois Airbus A321 à sua frota. Com estas medidas, a DHL Express assegura que os seus clientes mundiais conseguem beneficiar do “boom” global do e-commerce.

Publicidade

Lidl Kia Stonic

Lidl lança-se na venda de automóveis

Ronzoni Pasta

Grupo Ebro vende mais um negócio na América do Norte