in ,

Delivery vai atingir o 25 mil milhões de euros na Europa em 2023

Foto Shutterstock

O delivery de alimentos vai gerar receitas de 25 mil milhões de euros, em 2023, segundo a Rocket Lab, empresa de tecnologia especializada em impulsionar a aquisição de utilizadores e da sua atividade nas aplicações móveis.

Atualmente, existem mais de mil milhões de pessoas em todo o mundo que, no último ano, utilizaram, pelo menos uma vez, os serviços de uma app de delivery. O valor do sector alimentar irá ultrapassar, este ano, os 112 mil milhões de euros, a nível mundial, de acordo com dados do Global Overview Report.

 

Rentabilidade

Perante a crescente procura destes serviços, surgem desafios em termos de rentabilidade de ampliação do portfólio de serviços. Para assegurar a rentabilidade, é necessário que os negócios que já possuem uma app invistam em ferramentas de marketing para o “retargeting”, com o objetivo de fomentar a repetição e a frequência da compra e em diferentes momentos. “Noutras palavras, pedir a entrega de comida ao domicílio através de apps de delivery deve converter-se num hábito permanente para os seus clientes”, indica a Rocket Lab.

Para tal, existem estratégicas relacionadas com a oferta de menus exclusivos ou promoções, de modo a gerar a oportunidade de aumentar a faturação e a rentabilidade.

 

Fidelização

Outro dos desafios será o da fidelização e, nesse sentido, uma das estratégias será aproveitar a base de utilizadores dos marketplaces. Na verdade, as apps converteram-se numa das principais fontes de novos clientes e é, inclusive, através destas plataformas que os internautas descobrem vários negócios físicos. “Agora, é o momento para se reinventarem e utilizarem os marketplaces para incrementarem a base de clientes e a faturação. Isto implica empreender diversas estratégias tecnológicas e de logística para se colocar nos primeiros lugares das listas dos marketplaces e poder convencer, fidelizar e satisfazer as necessidades de todos os utilizadores”, aconselha a Rocket Lab.

Além disso, para responder aos desafios da ampliação do portfólio de serviços ou produtos, a inteligência artificial poderá ser utilizada para incorporar na app a oferta de produtos que não sejam comestíveis, desde assessoria de compras a assessoria nutricional, opções que dependem do “target” a que cada app se dirige.

 

Experiência de compra

Comunicar de um modo adequado com os utilizadores e garantir compras é fundamental. As apps devem melhorar a experiência de compra do utilizador e, se necessário, facilitar os processos de seleção, compra e entrega do produto, assim como os processos “in-app”. “Estes detalhes não devem ser negligenciados, já que isso implica a perda direta de clientes”.

Automatizar os processos permitirá que os negócios ganhem eficiência e identifiquem onde existem problemas e oportunidades de crescimento e melhoria. O desafio é expandir o mercado e, ao mesmo tempo, manter a eficiência e qualidade do serviço através das apps.

Publicidade

Recycle to Surf

Go Natural e Jordan juntos para transformar escovas de dentes usadas em pranchas de surf adaptado

Nestlé

Nestlé coloca Nutri-Score em Braille nas embalagens dos seus produtos