in

Dachser faturou 5,66 mil milhões de euros em 2019

A Dachser fechou o ano de 2019 com uma faturação de 5,66 mil milhões de euros, valor que representa um aumento de 1,6% face ao ano anterior.

No decorrer do ano, foram realizados mais de 80 milhões de envios, correspondendo a 41 milhões de toneladas transportadas para todos os países do mundo, através dos diferentes segmentos da multinacional de logística. A este nível, refira-se que o segmento terrestre Road Logistics teve um crescimento próximo dos 3%, resultando numa faturação de 4,6 mil milhões de euros. Por outro lado, o segmento Air & Sea Logistics teve uma queda de 4,1% face a 2018, valor relacionado, principalmente, com a diminuição da procura de serviços de carga aérea por parte de clientes do sector automóvel.

O ano de 2019, globalmente assinalado pelo desaceleramento da economia, fica, também, marcado pelo investimento de mais de 150 milhões de euros na melhoria e ampliação de infraestruturas da rede da Dachser e, ainda, na melhoria dos serviços tecnológicos e informáticos da empresa. De acordo com o CEO, Bernhard Simon, “quando os ventos da economia mudam, a qualidade e a confiança contam mais do que nunca”, acrescentando que é por isso que “a Dachser está cada vez mais comprometida em garantir a qualificação e motivação dos colaboradores, ao mesmo tempo que continua a investir na melhoria dos processos e nos serviços tecnológicos”.

Road Logistics

O segmento Road Logistics da Dachser, que integra os serviços de transporte e armazenamento de bens industriais (European Logistics) e alimentares (Food Logistics), teve um aumento de receita líquida de 2,9%, passando de 4,47 para 4,6 mil milhões de euros. De acordo com Bernhard Simon, “os serviços de transporte entre países permaneceram sólidos e a logística (Contract Logistics) teve um desenvolvimento positivo em toda a Europa”. O responsável acrescenta, no entanto, que “a escassez de motoristas e a falta de pessoal qualificado na Alemanha e em muitos outros países europeus continua a ser o desafio mais premente da Dachser”.

Air & Sea Logistics

Já no que ao segmento de Air & Sea Logistics diz respeito, a receita diminuiu 4,1%, tendo a faturação passado de 1,19 para 1,14 mil milhões de euros. O CEO da Dachser destaca que este foi o segmento que “mais sentiu os efeitos de um clima de negócios, que, em 2019, foi muito volátil e impactado pelas perturbações do comércio mundial”. Destaque-se que o segmento aéreo foi particularmente afetado pela diminuição da requisição de transporte por parte da indústria automóvel alemã.

Ainda em 2019, e para atenuar este impacto, a Dachser adicionou os sectores das ciências da vida/farmacêuticos, moda e desporto ao seu portfólio de serviços, expandindo, também, o transporte ferroviário à Nova Rota da Seda. A par com esta inclusão, o desenvolvimento interno e implementação do sistema de gestão de transporte Othello da Dachser está, agora, completo e estará em funcionamento em 99% dos envios em meados de 2020. Para o CEO da multinacional, a utilização deste sistema de gestão de transporte irá “agregar mais valor para os clientes da empresa”.

Covid-19

Para 2020, e devido ao surto de coronavírus, a Dachser terá que reajustar seus objetivos. Bernhard Simon explica que “o impacto final nos negócios é difícil de prever” e que tudo o que a empresa pode fazer é “reavaliar a situação diariamente e responder de acordo, adotando uma abordagem ágil e flexível”. O CEO acrescenta, ainda, que dadas as atuais restrições às atividades comerciais, não será possível evitar uma queda de volume nos negócios de produtos industriais, principalmente em Espanha e em França. “Como fornecedor de logística, somos um elo fundamental na cadeia de fornecimento para o sector alimentar e esperamos que esse negócio permaneça relativamente estável”, acrescenta.

Com uma força de trabalho próxima dos 31 mil colaboradores, a Dachser possui mais funcionários do que em qualquer outro momento da sua história. “Estamos muito orgulhosos disso, porque os nossos funcionários são parte fundamental do serviço que prestamos. Garantir empregos é a nossa principal prioridade em 2020”, assegura o CEO da multinacional. “Também queremos continuar a ser um parceiro estável e de confiança para clientes e parceiros de serviços. Juntos, superaremos a crise com preços e remunerações justos, construindo as bases para um crescimento futuro”, conclui.

Publicidade

Revolut

Isolamento profilático contribui para aumento da procura por plataformas de gaming e vídeojogos

Auchan

Auchan e AMI juntam-se em projeto de solidariedade durante a Covid-19