in

Covid-19 e queda do turismo afetam resultados semestrais do El Corte Inglés

Vendas online e reabertura das lojas impulsiona EBITDA do 2.º trimestre

O impacto da pandemia de Covid-19, que levou ao encerramento temporário das lojas e à queda do turismo, fizeram mossa no desempenho do El Corte Inglés, que fechou o seu primeiro semestre fiscal, período compreendido entre 1 de março e 31 de agosto, com uma queda de 41% nas vendas líquidas, para os 4.489 milhões de euros.

O EBITDA foi negativo em 131 milhões de euros. A dívida líquida totalizou 3.266 milhões de euros, 4,8% mais.

 

2.º trimestre estabiliza

No segundo trimestre, as vendas totalizaram aos 2.817 milhões de euros. O impacto da pandemia fez-se sentir, especialmente, nas atividades relacionadas com o turismo, com a divisão Viagens El Corte Inglés a registar uma queda superior a 90%.

Sem contar com o efeito do turismo, as vendas no retalho permaneceram contraíram 12,9%, para os 2.843 milhões de euros.

O grupo alcançou um EBITDA positivo de 64 anos, graças à reabertura das lojas e às vendas online.

Após um primeiro trimestre condicionado com o encerramento generalizado das lojas, exceto a alimentação e os serviços básicos, a geração de cash flow, entre junho e agosto, situou-se nos 679 milhões de euros, graças ao aumento das vendas e ao impacto positivo de poupança de custos, assim como a outras medidas complementares.

Relativamente ao mercado português, o comunicado do El Corte Inglés não faz qualquer menção aos resultados semestrais e trimestrais.

Publicidade

Bolas de Natal com 1 Miniatura e 6 Chocolates Beirão-min

Nova campanha do Licor Beirão apresenta as novas regras de segurança no Natal

Amor y Ódio

SEAME Group com nova marca de entrega de comida mexicana