in ,

Consumo de snacks aumentou devido à COVID-19

É o segundo ano que a Mondelēz International apresenta o “State of Snacking report” (“Relatório do Estado dos Snacks”), desenvolvido em colaboração com o especialista em pesquisa de consumo The Harris Poll.

No estudo, a empresa de alimentos examina as tendências de consumo e, em particular, a importância dos snacks na vida do consumidor.

De acordo com a Mondelēz, o relatório destaca um aumento no consumo de snacks em todo o mundo. Também demonstra que a pandemia redesenhou o comportamento, o sentimento e a rotina em relação aos alimentos.

Quase nove em cada dez entrevistados (88%) dizem que comiam mais (46%) ou tanto (42%) em comparação com antes da crise. Os snacks já estavam em alta em todo o mundo, mas a tendência só acelerou à medida que os consumidores passam mais tempo em casa.

Conforto e conexão

Mais da metade dos entrevistados disse que fazer snacks durante a pandemia era uma “salvação” (52%), uma afirmação com a qual 69% dos pais que trabalham em casa se relacionam.

Para muitos, também são uma fonte de conforto e conexão em dias solitários. Três em cada quatro adultos em todo o mundo conectaram com outras pessoas através da comida nos últimos seis meses, preparando um snacks juntos (40%), dando como presente (31%) ou fazendo compras para alguém que não poderia ir sozinho (29%).

As descobertas do nosso relatório confirmam o papel fundamental que os snacks desempenham na vida dos consumidores globais. Os insights destacam a sua crescente importância em 2020 e os momentos de paz que trazem aos indivíduos e famílias que ficam em casa e continuam a enfrentar os desafios colocados pela pandemia“, disse Dirk Van de Put, presidente e diretor executivo da Mondelēz International.

Publicidade

FAO

Preços mundiais dos alimentos disparam em novembro

Plant & Bean

Plant & Bean constrói a maior unidade de produção europeia de carne de origem vegetal