in

Compras híbridas são a escolha para mais de um em cada quatro consumidores

Foto Shutterstock

Na conferência NRF 2022: Retail’s Big Show, o IBM Institute for Business Value, em associação com a National Retail Federation, lançou o seu segundo estudo global “Consumers want it all”, que revela a crescente preferência dos consumidores por sustentabilidade e experiências de compras repartidas por múltiplos pontos de contacto digitais, físicos e “mobile”.

O novo estudo, que inquiriu mais de 19 mil consumidores, mostra que as compras híbridas – combinação de canais físicos com digitais – estão em ascensão, à medida que os hábitos de compra adotados por necessidade durante a pandemia estão a tornar-se rotina.

 

Método de compra primário

72% dos inquiridos usa a loja como parte do seu método de compra primário.  As principais razões pelas quais optam por visitar uma loja incluem tocar e sentir os produtos antes de os comprar (50%), escolher e recolher os seus próprios produtos (47%) e obter os produtos de imediato (43%), embora o que os compradores na loja procuram varie consoante a categoria de produto.

27% dos inquiridos refere que as compras híbridas são o seu método de escolha e os consumidores da Geração Z são mais propensos a ser um “comprador híbrido” em comparação com outras faixas etárias.

Embora muitos dos consumidores inquiridos ainda continuem a valorizar muito a experiência tradicional de compra na loja, agora também esperam ter flexibilidade para construir a sua própria jornada de compras, de acordo com os comportamentos predominantes na sua faixa etária, as ferramentas disponíveis e a categoria de produto que pretendem comprar“, indica Mark Mathews, vice-presidente da divisão de Research Development and Industry Analysis na National Retail Federation. “Esta abordagem ‘híbrida’ é uma mudança fundamental no comportamento dos consumidores“.

A compra híbrida tem surgido na maioria das categorias, nomeadamente em artigos para a casa e vestuário.

 

Sustentabilidade

O estudo mostra ainda que, desde 2020, a sustentabilidade se tem vindo a tornar cada vez mais importante para as decisões de compra dos consumidores e para a preferência em relação a marcas.

Os consumidores orientados para um propósito, que escolhem produtos/marcas com base em valores como a sustentabilidade, são hoje o maior segmento de consumidores inquiridos (44%).

62% dos inquiridos está disposto a mudar os seus hábitos de compra para reduzir o impacto ambiental, acima dos 57% de há dois anos.

O estudo indica que metade dos inquiridos diz estar disposto a pagar um “prémio” pela sustentabilidade, um valor médio de 70%. Este é aproximadamente o dobro de 2020.

No entanto, há um fosso entre a intenção e a ação e apenas 31% dos inquiridos diz que os produtos sustentáveis são a maior parte ou a totalidade da sua última compra.

Publicidade

online

Transações no e-commerce vão exceder os 7,5 biliões de dólares até 2026

Cacifo Shell

CTT incorporam postos Shell na sua rede de cacifos em Portugal