in , ,

Coca-Cola alcançará emissões zero em toda a cadeia de valor na Europa Ocidental até 2040

A Coca-Cola European Partners (CCEP) está a acelerar a descarbonização do negócio, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa (GEE) de toda a cadeia de valor em 30% até 2030 (em comparação com 2019) e define o caminho para se tornar uma empresa com emissões zero em 2040, em linha com o acordo de Paris para limitar o aquecimento global a 1,5˚C.

A CCEP reduzirá as emissões de GEE nas cinco áreas de sua cadeia de valor: embalagem, ingredientes, operações, transporte e equipamentos de refrigeração. O foco especial será colocado na redução das emissões de nível 3 (as que geram mais desafios), comprometendo-se a marca a apoiar também os seus fornecedores na definição das próprias metas de redução de emissões de carbono com base em critérios científicos e usar 100% de eletricidade de fontes renováveis.

250 milhões de euros na Europa Ocidental

Para implementar este plano de acção, a Coca-Cola European Partners investirá 250 milhões de euros na Europa Ocidental durante os próximos três anos para fornecer apoio financeiro à descarbonização nas diferentes áreas de atividade. O que inclui acções como uma maior redução da pegada de carbono do seu equipamento de refrigeração ou a continuação do trabalho em embalagens sustentáveis.

A Coca-Cola European Partners continuará a fazer progressos no seu objectivo de conseguir incluir plástico 100% reciclado, rPET, nas suas embalagens PET, o que implica também o investimento em tecnologias de despolimerização. Tudo isto tem como objectivo acelerar o desenvolvimento dos seus objectivos a longo prazo para se tornar uma empresa de emissões zero.

Plano de Incentivos

O compromisso assumido é tal que a Coca-Cola European Partners incluiu a meta de redução de Gases de Efeito de Estufa no Plano de Incentivos da sua equipa de gestão. 15% deste plano é atribuído em função do cumprimento do objetivo de redução das emissões nos próximos três anos.

Este esquema de incentivos baseia-se no trabalho realizado durante a última década para reduzir as emissões de Gases de Efeito de Estufa ao longo da cadeia de valor da Coca-Cola European Partners que, desde 2010, foram reduzidas em 30,5% como parte da sua estratégia de sustentabilidade para a Europa Ocidental ‘Avançamos’. O compromisso de reduzir as emissões de Gases de Efeito de Estufa até 2030 foi aprovado pela Science Based Target Initiative (SBTi) e procura tornar-se uma empresa com emissões zero até 2040, em conformidade com o compromisso de limitar o aquecimento global a 1.5˚C recomendado pelo Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC).

A Coca-Cola European Partners investirá em projectos que eliminem o carbono da atmosfera ou em projetos verificados de compensação de carbono. Contudo, concentrar-se-á na redução das emissões tanto quanto possível e só será compensada quando for essencial ou não for possível uma nova redução.

Os últimos avanços em Portugal

Desde 2010 foram investidos em Portugal cerca de 1,55 milhões de euros em medidas exclusivas de eficiência energética, o que se traduziu numa redução de custos de 3,2 milhões de euros e de emissões de CO2 de 17.400 t. Este modelo integrado de gestão de energia permitiu à CCEP em Portugal alcançar uma melhoria sustentada na eficiência energética de 33%, desde 2010 e reconhecimento a nível internacional.

Em julho deste ano, a Coca-Cola European Partners em Portugal recebeu o 2020 Energy Management Insight Award, sendo a primeira empresa portuguesa a ser distinguida com este galardão. Este prémio internacional é promovido pelo Clean Energy Ministerial, fórum mundial que engloba os ministros do ambiente e líderes governamentais de 26 países, reconhecendo as organizações pelos benefícios alcançados com a implementação de sistemas de gestão de energia certificados pela ISO 50001.

Desde 2018 que toda a energia elétrica contratada na fábrica de Azeitão é certificada de origem renovável (eletricidade verde) e nos últimos três anos a CCEP investiu 3,857 milhões de euros em novos equipamentos de frio energeticamente mais eficientes. Deste investimento resultou uma redução de emissões de cerca de 46% nos equipamentos de frio (2019 vs 2010). Com esta redução o consumo energético baixou de 72.000 MWh para cerca de 42.000 MWh (-41%).

Logística sustentável

Em termos de transportes a CCEP estabeleceu uma parceria bem-sucedida com a CHEP e a utilização das paletes de madeira reutilizáveis. Com esta parceria conseguiu obter uma redução de 60% nas emissões de CO₂ relacionadas com as embalagens terciárias e, assim, diminuir em 2019 8200 toneladas de CO2, reduzir o consumo de madeira nas paletes de uso único, o equivalente a salvar 18.400 árvores e evitar resíduos correspondentes a cinco anos de acumulação de resíduos em Lisboa.

Outra medida importante foi a passagem das frotas de veículos de transporte dos parceiros para camiões a gás, a incorporação de camiões de “dupla altura” para vasilhame permitindo aumentar a sua capacidade de carga e reduzir as suas deslocações, e continuar a apostar na produção nacional de mais de 90% do nosso portefólio reduzindo as emissões de CO2.

Em termos dos materiais de embalagens colocados no mercado, incluindo todo o portefólio comercial e todo o tipo de embalagens (primárias, secundárias e terciárias) verifica-se uma redução de 33% em peso absoluto, em 2019, comparativamente a 2010.

O objetivo de incorporar 50% de Pet Reciclado (R-PET) nas embalagens em 2025 está a avançar, estando Portugal em linha para atingir esta meta de 50% já em 2021. Nos próximos dois anos a CCEP Portugal irá também alterar toda a frota comercial para híbridos e elétricos.

Publicidade

Filipe Palhoça

Filipe Palhoça Vinhos apresenta novo website e loja online

FAO

Preços mundiais dos alimentos disparam em novembro