in

Carla Salsinha toma posse como presidente da direção da UACS

Novo mandato iniciou-se no dia 12 de janeiro

Carla Salsinha, presidente da direção da UACS

No dia 12 de janeiro, a nova direção da UACS tomou posse no edifício da União de Associações do Comércio e Serviços, em Lisboa, regressando à presidência Carla Salsinha.

De 2011 a 2017, a nova presidente liderou os interesses dos empresários do sector do comércio e serviços, marcando, assim, o seu regresso em 2022.

O novo mandato perdurará durante quatro anos (2022-2025) e conta com um grupo de nove elementos, sendo a presidente Carla Salsinha, o vice-presidente José Gomes de Castro, os diretores efetivos Tiago Quaresma, Vitor Vicente, Sandra Condesso, Pedro Raposo, Ricardo Claudino e os diretores suplentes Joaquim Valente e Pedro Costa.

 

Objetivos

A atual direção apresenta diversos objetivos para o comércio da cidade de Lisboa, incluindo a requalificação dos serviços prestados pelas empresas, a criação de um Gabinete de Defesa/Apoio do Comerciante, o desenvolvimento de iniciativas de animação dirigidas aos consumidores finais nas diferentes zonas da cidade, a afirmação do sector junto do poder local, a intensificação do Programa Lojas com História, a criação de um curso de gestores para as micro e PMEs em parceria com universidades, repensar o Espaço Comércio, entre outros.

Lisboa, vive um momento particular de uma elevada requalificação do edificado, de requalificação do espaço público, de forte atratividade de eventos culturais, musicais e sociais, mas também, e sobretudo, de eventos de empreendedorismo e de negócios, conferindo uma forte estabilidade financeira à cidade para que possa pensar de uma forma estruturante para todos os sectores, e em particular para o comércio. Tomando posse à presidência da UACS, reforço a resiliência de todos, durante este período, em que a pandemia veio mostrar o quão importante é o comércio da cidade na sua sustentabilidade, trazendo enormes desafios aos quais nós temos, como instituição centenária, saber dar resposta e apoiar as empresas da cidade”, afirmou Carla Salsinha.

 

 

Papel do comércio e serviços

Presente na cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, destacou o sector do comércio e dos serviços como “o sistema sanguíneo” da cidade. “É através do comércio e dos serviços que ligamos as pessoas aos espaços e é importante as pessoas terem ligação aos espaços. E aquilo que vimos hoje é que o comércio e os serviços se estão a transformar. Queremos uma cidade diferente, a chamada cidade dos 15 minutos, e construí-la depende do comércio e dos serviços. Só existe se estiverem desenhados de forma que a cidade possa viver essa relação entre a pessoa e o espaço numa era digital”.

Já o secretário de Estado do Comércio e Serviços do Consumidor, João Torres, salientou que o comércio “reganhou” centralidade nas políticas públicas que, no seu entender, é da maior importância e que está alinhada com os grandes desafios atualmente enfrentados nos pilares da resiliência, da transição verde e da transição digital. “Fomos capazes de encontrar soluções, não para corresponder totalmente às perdas de faturação dos empresários destes sectores, infelizmente, isso não se sucedeu em Portugal, mas para mitigar e para diminuir esses impactos. Podia referir-me a medidas de apoio à manutenção do emprego, mas vou-me focar no programa Apoiar, que só no distrito de Lisboa transferiu para as empresas mais de 407 milhões de euros, apoiando e compensando pela diminuição de faturação mais de 24 mil e 900 empresas.”

Publicidade

Campanha FNAC APN

APN e SPEDNM juntam-se à FNAC para encontros com especialistas em Atrofia Muscular Espinhal

Roady Logotipo

Tomar acolhe 35.º Centro-Auto Roady