in ,

Azeite, queijo, leite e vinho são os sectores mais afetados pela fraude alimentar

Os sectores mais afetados pela fraude alimentar são o azeite, o queijo, o leite e o vinho, segundo adiantou Beningno Santiago, engenheiro agrícola especialista em fraudes alimentares, num debate sobre segurança alimentar realizado no âmbito da Fruit Attraction.

O especialista denunciou que algumas empresas procuram obter uma maior rentabilidade económica através da fraude, embora sem pôr em perigo a saúde do consumidor.

Não obstante, hoje tem-se uma maior segurança alimentar, face ao investimento em investigação e tecnologia, pese embora não seja esta a perceção do público. O que motiva o investimento em certificados, “que custam muito dinheiro e avaliam, por exemplo, que um produto não contém transgénicos, apesar de isto não representar nenhum risco para a saúde”, destacou José Miguel Mulet, doutorado em bioquímica e biologia molecular.

No seu entender, isso pode levar o consumidor a assumir como mais naturais produtos que não têm garantias para a segurança alimentar, como a moda dos fermentados de hortaliças caseiros, que podem causar botulismo.

Publicidade

Danone recorre à inteligência artificial para evitar que os iogurtes se estraguem

Cor e descrição na embalagem influenciam a compra de barras de cereais