in

65% dos consumidores afirma que a personalização irá conquistar a sua fidelização em 2023

consumo
Imagem: Shutterstock

Os consumidores estão a pensar de forma mais crítica sobre onde irão gastar o seu dinheiro em 2023, com 81% a afirmar que irá reavaliar o seu orçamento nos próximos 12 meses. Esta é uma conclusão do inquérito global da Salesforce, realizado junto de cinco mil consumidores, com o intuito de compreender as suas expectativas face a uma economia incerta e o que pretendem das marcas para se manterem fidelizados, em 2023.

Dados do relatório apontam para o facto de os retalhistas estarem em maior risco, com 79% dos consumidores a dizer que vai reavaliar os seus gastos com marcas de retalho no próximo ano. Viagens e turismo e media e entretenimento também enfrentam o potencial de gastos reduzidos, com 78% e 70% dos consumidores, respetivamente, a relatar planos para reavaliar os gastos nesses sectores.

 

Experiências personalizadas e em tempo real

Uma economia impactada pela inflação e a escassez de pessoal não diminuíram as expectativas dos consumidores para um serviço de elevado nível. São 52% os que esperam, de facto, uma melhor experiência por parte das suas marcas favoritas, como resultado do atual ambiente económico. Os consumidores são claros sobre o que acreditam ser uma melhor experiência: 72% diz que irá permanecer fiel às empresas que oferecem um serviço mais rápido e 65% indica que permanecerá fidelizado se a empresa oferecer uma experiência mais personalizada.

Os consumidores também esperam que as marcas utilizem os seus dados para oferecerem serviços de atendimento ao cliente mais relevantes, com mais de 60% a reportar que espera que as empresas reajam de forma instantânea e com as informações mais atualizadas, ao transferirem entre departamentos. Reforçar a confiança também pode ser uma oportunidade de fidelização: 76% dos consumidores diz que as empresas que fornecem segurança de dados irão incentivar a sua fidelização.

 

Experiências desconectadas geram frustração

Os consumidores tiveram também a oportunidade de reportar, neste relatório, as suas experiências menos positivas, incluindo as principais frustrações, que variam de experiências desconectadas (40%), perguntas que já tinham sido anteriormente respondidas (35%) e ofertas de produtos que não são relevantes para si (33%).

Quando somadas, as experiências frustradas criam perceções negativas acerca da marca e, possivelmente, a perda de um futuro cliente. De acordo com 52% dos consumidores, o serviço de qualidade negativa é o principal motivo que os impede de repetir uma compra.

 

Dados em tempo real

O estudo mostra que as experiências conectadas do cliente não são mais “nice to have”, mas essenciais para se competir numa economia em mudança. Os dados em tempo real oferecem um caminho para as empresas que pretendem competir nessa nova economia.

Quando reunidos numa única fonte de verdade, os dados em tempo real oferecem “insights” ricos e acionáveis, que podem ajudar a fornecer experiências de cliente inteligentes e conectadas.

rótulos eletrónicos

Vinhos Borges adota sistema de rótulos eletrónicos

MOBI.E

MOBI.E inaugura novo hub de carregamento em Matosinhos