in

Vendas do Grupo Os Mosqueteiros em Portugal atingem os 2,2 mil milhões de euros

2021 é o ano em que se assinalam os 30 anos da chegada do Grupo os Mosqueteiros a Portugal

Apesar da pandemia que atingiu o país, em 2020, o Grupo os Mosqueteiros obteve vendas de 2,2 mil milhões de euros e manteve o seu plano de desenvolvimento, com 12 aberturas, fechando o ano com um total de 330 pontos de venda representativos das três insígnias: Intermarché, Bricomarché e Roady, perfazendo uma área total de 415 mil metros quadrados, um aumento de 4% face a 2019.

Esta expansão representou um investimento de 38,9 milhões de euros e a criação de mais de 450 postos de trabalho.

Laurent Boutbien, presidente do Grupo Os Mosqueteiros

Este ano, em que se assinalam os 30 anos do Grupo em Portugal, o eixo estratégico continua a incidir sobre o plano de expansão e de modernização. Assim, em 2021, o grupo prevê a abertura de 22 pontos de venda, gerando mais de 800 postos de trabalho, e a modernização de 100 lojas. “Em 2021, e como tem acontecido ao longo dos últimos 30 anos e nas nossas três insígnias, a prioridade é oferecer aos nossos clientes os melhores produtos ou serviços ao menor custo, pelo que continuaremos a investir no desenvolvimento das nossas três insígnias. Até 2025, pretendemos aumentar a quota de mercado de 2,5% no sector alimentar, 9% no Roady e 6,3% no sector da bricolage”, afirma Laurent Boutbien, presidente do Grupo Os Mosqueteiros.

 

Intermarché

Em 2020, o volume de negócios sem combustível do Intgermarché aumentou 1,5 mil milhões de euros, um crescimento de 7% em relação a 2019. Verificou-se, também, um aumento do cesto médio de 21,7%, com um volume de negócios global com combustível de 2,06 mil milhões de euros.

Em 2020, a PorSi tornou-se uma marca incontornável nos lineares do Intermarché, com 2.400 referências e um crescimento de 94% (mais 35% numa base comparável). A insígnia pretende alargar a sua gama (3500 referências) em todos os segmentos.

Para além disso, o Intermarché continua a valorizar a proximidade dos produtores locais, apoiando a produção nacional, maioritariamente na área dos frescos. “2020, e 2021 sê-lo-á também, foi um ano em que o compromisso do Intermarché assumiu uma relevância ainda maior: oferecer produtos de qualidade e garantir a presença de bens essenciais sempre com o melhor preço”, refere Martinho Lopes, administrador do Intermarché. “Ao mesmo tempo que garantimos uma resposta diária e incansável aos nossos clientes, garantimos também a segurança em todos os nossos pontos de venda, quer para colaboradores, quer para os nossos clientes. No que diz respeito à economia, tivemos um papel mais fundamental do que nunca, com a abertura de novas lojas e a criação de postos de trabalho, apoiando sempre a economia local e a produção nacional”, acrescenta Martinho Lopes.

 

Bricomarché

Em 2020, o Bricomarché alcançou um volume de negócios de 149 milhões de euros, um aumento de 21% em comparação ao ano anterior. A insígnia também aumentou a sua área de vendas em 7%, atingindo 95.773 metros quadrados. O Bricomarché conta com 43 lojas, 913 colaboradores e 37 aderentes/ chefes de empresa. “Estamos muito orgulhosos dos resultados alcançados, neste último ano, em que todos nós tivemos de nos reinventar. Este resultado é fruto da dedicação dos nossos aderentes, colaboradores e, obviamente, dos nossos clientes que continuaram connosco. As nossas expectativas face a 2021 são bastante elevadas, uma vez que, para além das condições que o grupo proporciona aos seus empresários, acreditamos que a proximidade e o envolvimento do chefe de empresa tão próximo quanto possível dos clientes, na sua localidade, são fatores que nos diferenciam dos nossos concorrentes”, sublinha Sérgio Ovelheiro, administrador do Bricomarché.

 

Roady

Em 2020, o Roady atingiu um total de volume de vendas de 34,9 milhões de euros, havendo um natural decréscimo face ao ano anterior, valor naturalmente justificado pela obrigatoriedade de confinamento durante grande parte do ano. Especialistas na reparação e manutenção automóvel, o Roady conta com 33 centros auto.

Apesar desta diminuição, em 2020, a insígnia deu passos muito significativos no que toca à modernização da sua oferta, desde o desenvolvimento de packs chave na mão – serviços tudo incluído –, passando por uma oferta de produtos e serviços adequados aos automóveis para o período de pós confinamento e ainda projetos como “Trotinetar Portugal”, iniciativa que reforça o eixo estratégico da mobilidade da marca ao convidar os portugueses a explorar o país em duas rodas.

Estelle Pereira, administradora do Roady em Portugal, afirma ainda que “2020 foi um ano difícil para o sector, mas agora é hora de olhar para o futuro. Adaptamo-nos às circunstâncias, procuramos dar resposta às necessidades dos nossos clientes e ofereceremos serviços inovadores, tais como packs de preço único ou a mobilidade, sinónimos de modernidade bem percebida pelos nossos clientes.”

Publicidade

phishing

Portugal é o segundo país do mundo com mais vítimas de phishing

Retalho

Vendas do comércio a retalho europeu caem no arranque do ano